18:19 13 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1516
    Nos siga no

    Pequim anunciou na terça-feira (26) que realizará exercícios militares no mar do Sul da China, depois que o porta-aviões USS Theodore Roosevelt entrou na área no sábado (23).

    Washington rejeita as reivindicações marítimas de Pequim no mar do Sul da China além do que é permitido pela legislação internacional e defende que as nações do Sudeste Asiático resistam à pressão, afirmou o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, na quarta-feira (27).

    "O secretário Blinken prometeu apoiar os requerentes do Sudeste Asiático em face da pressão da RPC [República Popular da China] […]. Blinken enfatizou a importância do Tratado de Defesa Mútua para a segurança das nações e sua aplicação clara aos ataques armados contra as Forças Armadas das Filipinas, embarcações públicas ou aeronaves no Pacífico, que inclui o mar do Sul da China", lê-se no comunicado do Departamento de Estado dos EUA.

    A declaração foi feita após uma conversa telefônica com o ministro das Relações Exteriores das Filipinas, Teodoro Locsin. Locsin disse na quarta-feira que as Filipinas apresentaram um protesto diplomático sobre a aprovação de uma lei pela China que permite que a guarda costeira chinesa abra fogo contra navios estrangeiros, descrevendo-a como uma "ameaça de guerra".

    Novo secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken
    © AP Photo / Susan Walsh
    Novo secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken

    Na terça-feira (26), a China anunciou exercícios militares na área depois que o porta-aviões USS Theodore Roosevelt, acompanhado de três navios de guerra, entrou nas águas do mar do Sul da China.

    A China reivindica quase todo o mar do Sul da China. Filipinas, Brunei, Vietnã, Malásia e Taiwan têm reivindicações sobrepostas.

    Mais:

    Novo míssil balístico da China aumentaria 'risco e custo' para EUA iniciarem conflito com Pequim
    Think tanks dos EUA instam Biden e aliados a seguir pressão comercial de Trump contra China
    China torna-se principal país de investimento estrangeiro enquanto EUA recuam em meio à pandemia
    'Grande fratura': Guterres alerta sobre possível divisão do mundo entre EUA e China
    Tags:
    USS Theodore Roosevelt, Filipinas, Mar do Sul da China, China, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar