01:23 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    31214
    Nos siga no

    Caças de Taiwan começaram a realizar exercícios para simular cenário de guerra, mostrando sua prontidão para combate após aviões militares chineses sobrevoarem a zona de defesa aérea da ilha no fim de semana.

    No sábado (23) e no domingo (24), uma incursão em larga escala de caças e bombardeiros de capacidade nuclear chineses ocorreu na parte sudoeste da zona aérea de Taiwan, segundo informou a agência Reuters.

    A base militar na cidade de Tainan, ao sul do país, que abriga os Caças de Defesa Nacionais (IDF, na sigla em inglês) F-CK-1 Ching-kuo, frequentemente lança caças para interceptar a Força Aérea chinesa.

    A tripulação de voo da Primeira Ala de Caças Táticos começou a preparar imediatamente dois IDF quando o alarme soou, tendo como objetivo sua descolagem em cinco minutos ao receber uma chamada de emergência, armados com mísseis ar-ar Sidewinder de produção norte-americana e mísseis de cruzeiro ar-superfície Wan Chien de produção doméstica.

    O coronel Lee Ching-shi disse à Reuters que seus caças normalmente voam equipados com armas Sidewinder e mísseis Sky Sword produzidos em Taiwan, quando reagem a jatos chineses, e estão prontos para responder "a qualquer momento".

    "Estamos preparados", afirmou o coronel durante uma visita organizada pelo governo à base. "Não vamos dar nem um centímetro de nosso território."

    Quatro caças IDF treinaram exercícios de pouso e decolagem em formação tática.

    Piloto se prepara para decolagem do Caça de Defesa Nacional F-CK-1 Ching-kuo na base da Força Aérea em Tainan, Taiwan, 26 de janeiro de 2021
    © REUTERS / Ann Wang
    Piloto se prepara para decolagem do Caça de Defesa Nacional F-CK-1 Ching-kuo na base da Força Aérea em Tainan, Taiwan, 26 de janeiro de 2021

    A China não forneceu nenhuma explicação pública sobre o motivo pelo qual seus aviões estavam na zona da defesa aérea de Taiwan no último fim de semana.

    Washington respondeu ao ocorrido apelando à China para deixar de pressionar Taiwan e reafirmou seu compromisso para com a ilha.

    "Todas as alas estão sob muita pressão, mas enquanto a Força Aérea aqui estiver vamos reagir de acordo com as regras de prontidão de combate relacionadas", comentou o piloto Wang Chih-chan.

    Pequim defende o conceito de Uma só China, no qual Taiwan faria parte da República Popular da China, enquanto Taipé reforça laços com Washington desde a administração Trump, com frequentes casos de navios norte-americanos passando perto das águas da China continental, onde também está concentrado um alto número de embarcações chinesas.

    Mais:

    Grupo de porta-aviões dos EUA entra no mar do Sul da China em meio à tensão entre Pequim e Taiwan
    Tropas e tanques de Taiwan repelem ataque da China em exercício (VÍDEO, FOTOS)
    China promete 'firme contra-ataque' para enfrentar 'provocação dos EUA' ao reatarem laços com Taiwan
    Exército chinês realiza treinamentos de fogo real perto de Taiwan (VÍDEO)
    Tags:
    Força Aérea, defesa aérea, avião de combate, caça, China, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar