00:16 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    154
    Nos siga no

    Os hibakusha, como são conhecidos os sobreviventes dos bombardeios nucleares de 1945 no Japão, estão pedindo ao governo japonês que se juntem ao Tratado da ONU de Proibição de Armas Nucleares, que entrará em vigor nesta sexta-feira (22).

    Kodama Michiko, que tinha sete anos quando presenciou o bombardeio a Hiroshima, hoje tem 82 anos e é secretária-geral da Confederação de Organizações de Vítimas de Bombas A e H. A japonesa comemorou a vigência do acordo.

    "Estou muito feliz de falar às diversas vítimas que armas nucleares, que ceifaram tantas almas, estão banidas sob leis internacionais", disse em coletiva de imprensa, conforme noticiado pelo veículo japonês NHK.

    Michiki afirmo, no entanto, que é lamentável que o Japão não participe do acordo, sendo o único país que sofreu com as bombas nucleares.

    Outra secretária-geral da organização, Wada Masako, de 77 anos, é uma sobrevivente do bombardeio atômico de Nagasaki. Ela disse que o novo presidente dos EUA, Joe Biden, deveria pensar sobre como as armas nucleares são desumanas, pois destroem tudo e todos.

    A cidade de Hiroshima, 1948
    © AFP 2021 / STF
    A cidade de Hiroshima, 1948

    Em 1945, os Estados Unidos lançaram duas bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki, em 6 e 9 de agosto, respectivamente. A bomba atômica chamada de Little Boy (pequeno garoto, em inglês) matou cerca de 140.000 residentes da cidade de Hiroshima, enquanto a outra, Fat Man (homem gordo, em inglês), matou cerca de 70.000 pessoas em Nagasaki. Os bombardeios atômicos de Hiroshima e Nagasaki são os únicos ataques com armas nucleares na história.

    O Tratado de Proibição de Armas Nucleares, aprovado pelas Nações Unidas em julho de 2017, proíbe o desenvolvimento, teste, produção, armazenamento, uso, transferência e a ameaça de armas nucleares. Os 50 países necessários ratificaram o tratado.

    Cogumelo atômico formado pelo bombardeio norte-americano da cidade japonesa de Nagasaki em 9 de agosto de 1945 (foto de arquivo)
    © AP Photo
    Cogumelo atômico formado pelo bombardeio norte-americano da cidade japonesa de Nagasaki em 9 de agosto de 1945 (foto de arquivo)

    Mais:

    Israel prepara plano para atacar programa nuclear do Irã, diz jornal
    Líder norte-coreano pede 'dissuasão de uma guerra nuclear' e 'capacidades militares' mais fortes
    Presidente da Bolívia anuncia reativação de projeto de usina nuclear em parceria com Rússia
    Rouhani revela condições de cumprimento do acordo nuclear pelo Irã
    Tags:
    Tratado de Proibição Nuclear, bomba atômica, bomba nuclear, ONU, Nações Unidas, Japão, Nagasaki, Bomba de Hiroshima, Hiroshima
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar