03:00 09 Março 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)
    0 120
    Nos siga no

    O ministro da Saúde de Quirguistão anunciou que o país considera a possibilidade de recebimento da vacina russa Sputnik V contra a COVID-19 e explicou por que não compra o análogo norte-americano.

    Quirguistão recusa a vacina contra a COVID-19 das farmacêuticas Pfizer e BioNTech devido a problemas financeiros, afirmou em entrevista à Birinchi Radio o ministro da Saúde, Alymkadyr Beishenaliev.

    O ministro revelou que a aliança global de vacinas COVAX fornece gratuitamente vacinas para os países que não têm dinheiro para sua aquisição em massa. Particularmente, a aliança ofereceu a Quirguistão a vacina Pfizer/BioNTech e forneceria 1,2 milhão de doses dessa vacina.

    "Das oito vacinas na lista da COVAX nos deram para consideração a da Pfizer. Mas negociaremos com a aliança a possibilidade de fornecerem outra vacina. Não, a Pfizer é uma vacina boa, mas para a trazer a Quirguistão e fornecer à população são necessárias geladeiras que garantam uma temperatura de armazenamento de -70 °C. Não temos isso. Contatamos o Ministério das Finanças, mas também não há dinheiro. Para fornecer geladeiras pelo menos às grandes cidades, às capitais das regiões, são necessários US$ 2 milhões (R$ 10,5 milhões)", explicou Beishenaliev.

    O ministro lamentou que a lista da aliança COVAX não inclui as três vacinas russas contra o coronavírus.

    "Nós enviamos em nome da liderança de Quirguistão uma carta ao líder da Rússia Vladimir Putin, solicitando 500 mil doses da vacina. O ministro da Saúde Murashko (Mikhail Murashko) concordou. Em breve, a questão será resolvida. Para o armazenamento dos componentes dessa vacina é necessária uma cadeia de frio de -2 a -18 °C. Possuímos tais frigoríficos, apenas é preciso comprar mais", afirmou Beishenaliev.

    Além disso, ele declarou que para o "regresso de Quirguistão à vida normal é preciso realizar a vacinação da população".

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)

    Mais:

    Anvisa rejeita documentos submetidos para uso emergencial da Sputnik V no Brasil
    RFPI diz que informação sobre recusa de registro da Sputnik V para uso emergencial no Brasil é falsa
    França detecta efeitos colaterais graves em 6 vacinados com imunizante da Pfizer/BioNTech
    Pelo menos 13 pessoas apresentam paralisia facial em Israel após receberem vacina da Pfizer
    Tags:
    pandemia, COVID-19, vacina, Sputnik V, Rússia, Pfizer, Quirguistão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar