17:26 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)
    0 20
    Nos siga no

    Uma equipe de pesquisadores internacionais chegou hoje (14) à cidade chinesa de Wuhan, onde foram detectados os primeiros casos da COVID-19, para conduzir uma investigação sobre as possíveis origens da doença.

    O grupo enviado a Wuhan pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi aprovado pelo governo do presidente Xi Jinping após meses de disputas diplomáticas que geraram uma reclamação pública incomum por parte do chefe da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, destaca em reportagem a Associated Press.

    Cientistas suspeitam que o novo coronavírus, que já matou quase dois milhões de pessoas desde o final de 2019, tenha contaminado os humanos após contato inadequado com morcegos ou outros animais selvagens, provavelmente na China. No entanto, de acordo com autoridades chinesas, o vírus também poderia ter vindo do exterior.

    Ao autorizar os trabalhos dos especialistas estrangeiros no território chinês, Pequim defendeu que outras investigações do tipo deveriam ser realizadas também em outros países

    ​Ao todo, 15 pesquisadores, de países como Rússia, Estados Unidos, Austrália, Alemanha, Japão, Reino Unido, Holanda, Qatar e Vietnã, eram aguardados na China nesta quinta-feira (14), mas dois testaram positivo para o novo coronavírus pouco antes da viagem e tiveram que ficar em Singapura, onde serão submetidos a um novo teste. Os demais, já em Wuhan, passarão por uma quarentena de duas semanas e testes para a COVID-19 realizados por autoridades chinesas. Segundo a AP, eles devem começar a trabalhar por meio de videoconferência durante esse período.

    Tema:
    Coronavírus no mundo em meados de janeiro de 2021 (81)

    Mais:

    Coronavírus não tem origem animal e 'foi vazado acidentalmente' de laboratório, diz médico norueguês
    Virologista chinesa convida OMS a inspecionar laboratório de Wuhan: 'Não temos nada a esconder'
    'Mais pandemias virão' e é necessário investir em preparação, diz diretor-geral da OMS
    Tags:
    novo coronavírus, COVID-19, pandemia, Hubei, Wuhan, Pequim, OMS, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar