19:09 21 Outubro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2262
    Nos siga no

    Kim Jong-un admite fracasso do plano econômico norte-coreano, mas destaca "vitória milagrosa" do país ao realizar com sucesso testes de mísseis balísticos intercontinentais.

    Nesta quarta-feira (6), durante discurso no 8º Congresso do Partido dos Trabalhadores, o líder norte-coreano Kim Jong-un afirmou que o plano econômico do país falhou em cumprir suas metas "em quase todos os setores", informou a mídia estatal KCNA.

    A reunião se caracteriza como um raro encontro político, pois o último aconteceu em 2016, e por sua excepcionalidade e grandeza (contando com mais de dois mil expectadores e 4.750 delegados), acabou atraindo atenção internacional.

    Ao que tudo indica, Kim Jong-un pode revelar um novo plano econômico de cinco anos e discursar sobre laços intercoreanos e política externa. Uma nova proposta econômica parece se fazer necessária nesse momento, já que o próprio líder admitiu que seu plano econômico de cinco anos elaborado em 2016 falhou, e espera que a Coreia do Norte tenha "mais autossuficiência" em 2021.

    "A estratégia estava prevista para o ano passado, mas ficou tremendamente aquém das metas em quase todos os setores", disse Kim.

    Em seguida, o líder exaltou algumas conquistas como a "vitória milagrosa" dos avanços militares que culminaram em testes bem sucedidos de mísseis balísticos intercontinentais em 2017 e os encontros que realizou com o presidente dos EUA, Donald Trump.

    Kim Jong-un participa do primeiro dia do 8º Congresso do Partido dos Trabalhadores em Pyongyang na data de hoje, 6 de janeiro de 2021
    © REUTERS / KCNA
    Kim Jong-un participa do primeiro dia do 8º Congresso do Partido dos Trabalhadores em Pyongyang na data de hoje, 6 de janeiro de 2021

    Para analistas, o fato de um líder norte-coreano admitir que falhou em algum aspecto da sua gestão é uma estratégia para aproximar o líder de sua população, dessa forma, é passada a imagem de "homem do povo".

    "Ele parece ter tomado uma decisão estratégica ao admitir o fracasso econômico, pois também pode culpar o coronavírus. Ao fazer isso, ele também buscaria consolidar sua imagem como um líder que ama as pessoas", disse Shin Beom-chul, pesquisador sênior do Instituto de Pesquisa da Coreia para Estratégia Nacional da Coreia do Sul, citado pela Reuters.

    Atualmente, o país sofre com graves problemas internos impulsionados por fortes sanções econômicas internacionais, pela pandemia da COVID-19 e por enchentes severas que aconteceram em 2020, resultando em falta de alimentos e energia.

    Sobre a pandemia, a Coreia do Norte não confirmou oficialmente nenhuma infecção pela COVID-19 em sua população, porém, há rumores de que o país começou a pesquisar formas para obter a vacina.

    Mais:

    Armas nucleares da Coreia do Norte ficaram mais perigosas com Trump no poder, diz agência
    Misteriosa usina na Coreia do Norte estaria fabricando componentes nucleares, revela portal (FOTO)
    Coreia do Norte tem material suficiente para produzir '45 armas nucleares', afirma perito
    Tags:
    Coreia do Norte, COVID-19, Kim Jong-un
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar