08:20 12 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    10814
    Nos siga no

    Fake news sobre Xinjiang, fabricadas por alguns políticos contrários à China nos EUA, foram consideradas "a mentira do século".

    Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Externas da China, afirmou na segunda-feira (28) que Pequim se opõe a tamanhas acusações.

    Tudo começou com postagens no Twitter compartilhadas pela Embaixada dos EUA na China da conta do Departamento de Estado dos EUA, na qual acusações eram feitas contra as políticas do Partido Comunista chinês em Xinjiang, dizendo que mais de um milhão de muçulmanos uigures teriam sido detidos e forçados a trabalhar em campos de algodão em Xinjiang, segundo o canal de notícias CCTV.

    Lijian disse que as autoridades diplomáticas americanas, influenciadas por determinados políticos contrários à China, teriam distorcido os fatos, fabricado rumores, e espalhado repetidamente fake news sobre Xinjiang.

    Na mídia estadual chinesa, Zhao comentou que os políticos e funcionários dos EUA deveriam aprender sobre a verdade e os fatos sobre Xinjiang, em vez de divulgarem fake news e enganar a sociedade internacional usando relatórios de Xinjiang fabricados por algumas forças antichinesas.

    Presidente chinês, Xi Jinping aparece em tela em Hotan, na região ocidental de Xinjiang
    © AP Photo / Ng Han Guan
    Presidente chinês, Xi Jinping aparece em tela em Hotan, na região ocidental de Xinjiang

    Na verdade, o porta-voz chinês chegou a declarar que com estabilidade social, desenvolvimento econômico, harmonia religiosa e melhores meios de subsistência na Região Autônoma de Xinjiang, as pessoas de todos os grupos étnicos, incluindo o povo uigur, levam uma vida próspera e feliz.

    Zhao aconselhou a Embaixada dos EUA na China a cumprir a responsabilidade de promover relações bilaterais e amizade entre os povos americano e chinês, e não espalhar fake news e atacar a China, o que tem causado descontentamento na nação asiática.

    "O governo dos EUA deveria refletir [e] parar de espalhar um vírus político utilizando as questões de Xinjiang para interferir nos assuntos internos da China, e [antes] se concentrar em resolver seus próprios problemas, tais como proteger vidas americanas e assegurar seus direitos humanos, incluindo suas minorias", concluiu Zhao.

    Mais:

    Navio militar indiano conduz exercício com Marinha do Vietnã no mar do Sul da China (FOTOS)
    China está perto de lançar seu 3º navio de assalto anfíbio (FOTOS)
    Desafios dos Acordos de Abraão: qual seria a estratégia de Biden para Oriente Médio?
    Tags:
    mentira, direitos humanos, uigures, Xinjiang, Estados Unidos, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar