18:39 18 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 50
    Nos siga no

    Na Índia, os protestos de fazendeiros contra três leis agrícolas instituídas pelo governo de Narendra Modi chegaram ao seu 27º dia. Em meio aos confrontos com as forças de segurança, milhares pessoas estão em marcha em direção a capital do país, Nova Deli.

    O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, sustenta que as reformas, que foram aprovadas em setembro, já deveriam ter sido feitas e qualquer oposição a elas seria prejudicial para o investimento em tecnologias modernas para o setor.

    Embora os agricultores concordem que seu setor precisa urgentemente de reformas e práticas modernas, eles dizem que as reformas de Modi os deixarão à mercê de grandes corporações. O argumento de Modi, em contrapartida, é de que a legislação visa melhorar o desempenho do setor. Ele apela aos governos estaduais, responsáveis pela implementação das medidas, para explicá-las aos agricultores. 

    Milhares de agricultores estão sendo parados na praça de pedágio de Muradabad pela polícia, que não permite que eles venham a Deli e se juntem ao protesto. Isso é inconstitucional e contra a democracia.

    Desde 26 de novembro, milhares de agricultores exigem a reversão total das três novas leis agrícolas e o fim do bloqueio das rodovias que conectam Deli ao resto do país. O governo da Índia emprega barricadas e polícia para impedir que os agricultores se mudem de diferentes partes do país para Nova Deli.

    Nesta terça-feira (22), os manifestantes entraram em confronto com a polícia no distrito de Rampur, no estado de Uttar Pradesh.

    Líderes dos fazendeiros pedem ao primeiro-ministro Boris Johnson que não visite a Índia até que Modi revogue as leis agrícolas.

    As imagens de hoje (22), que logo tomaram as redes sociais, mostram o carro do oficial sênior da polícia de Moradabad, Prabhakar Chaudhary, sendo atacado por centenas de pessoas. O oficial chegou a cair no chão em uma briga com os fazendeiros. Mais tarde, com a ajuda de outros policiais, ele conseguiu escapar do local.

    Cena da rodovia Deli-Lucknow perto de Rampur e Moradabad. Agricultores agitados atacam a polícia depois que eles foram supostamente parados. Um policial sênior foi visto correndo atrás de reforços depois que a van foi atacada, e teve que recuar.

    Em Haryana, centenas de fazendeiros mostraram bandeiras negras ao ministro-chefe do estado, Manohar Lal Khattar. O governo de Haryana também está usando a força de segurança local para impedir que os agricultores na rodovia federal tentem se juntar aos protestos nos arredores de Deli.

    Os protestos

    Os protestos são os maiores desde que manifestações contra uma lei de cidadania baseada na religião foi aprovada por uma maioria esmagadora do Parlamento em dezembro de 2019.

    No meio protesto dos fazendeiros, os líderes do BJP, em Haryana, mostram bandeiras negras e slogans levantados contra eles, culpando a governança por ser anti-fazendeira. Todas as programações planejadas dos líderes estão sendo interrompidas pela cavalgada dos apoiadores do protesto Watch CM, em Ambala.

    Agricultores dos estados de Haryana e Punjab, conhecidos como "o celeiro da Índia", estão acampados nos arredores de Nova Deli desde 26 de novembro e exigem a revogação da nova lei que incide sobre a agricultura do país.

    A reforma derruba antigas medidas protecionistas. No campo, inclui três medidas que afrouxam as regras de venda, fixação de preços e armazenamento de produtos agrícolas — normas que protegeram os agricultores indianos de um mercado livre irrestrito por décadas.

    A oposição

    Enquanto isso, a oposição da Índia anunciou na noite de terça-feira (22) que o partido, sob a liderança de Rahul Gandhi, apresentará ao presidente da Índia, Ram Nath Kovind, em 24 de dezembro, assinaturas de cerca de 20 milhões de agricultores de toda a Índia, pedindo a retirada das leis.

    Na oposição às leis anti-fazendeiros, cerca de dois crore [20 milhões] assinaturas de toda a Índia, pedindo sua retirada, foram coletadas e as mesmas serão submetidas ao presidente Hon'ble por uma delegação de líderes do Congresso liderada por Shri Rahul Gandhi, em 24 de dezembro de 2020.

    A população indiana é 1,3 bilhão. Dessas, 41,5% dependem, direta ou indiretamente, da agricultura. Em números, essa porcentagem representa mais de 560 milhões de pessoas. Dentre esse grupo social, 86% são pequenos agricultores que têm menos de dois hectares de terra, o equivalente a cerca de dois campos de futebol.

    Mais:

    Índia pretende obter 38 mísseis BrahMos para novos navios de guerra
    EUA podem impor sanções contra Índia assim que país receber S-400 da Rússia, diz ex-conselheiro
    Trem descarrila após colidir com elefante na Índia
    Tags:
    manifestação, governo, reformas, protestos, Narendra Modi, Nova Deli, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar