17:44 25 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3141
    Nos siga no

    O governo da China criticou a fala do presidente norte-americano Donald Trump, que disse que hackers chineses podem estar por trás de uma investida de espionagem cibernética contra os Estados Unidos.

    Nesta segunda-feira (21), o Ministério das Relações Exteriores da China diz que o país se opõe à espionagem cibernética e tem intensa repressão a crimes de invasão e ameaça cometidos on-line.

    "Os Estados Unidos politizaram a questão da cibersegurança sem evidências conclusivas e continuamente espalharam informações falsas e jogaram lama na China na tentativa de manchar a imagem da China", disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, segundo a AP.

    No sábado (19), Trump questionou as acusações feitas por integrantes da sua própria administração, como o secretário de Estado Mike Pompeo, de que o Kremlin estaria por trás das tentativas de espionar agências federais dos EUA.

    Logo em seguida, o presidente norte-americano disse, sem apresentar evidências, que a culpa pelos ataques "pode ​​ser" da China.

    "Esperamos que os Estados Unidos tenham uma atitude mais responsável em relação à segurança cibernética", disse Wang.
    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, durante briefing diário em Pequim, 24 de julho de 2020
    © AP Photo / Mark Schiefelbein
    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, durante briefing diário em Pequim, 24 de julho de 2020

    O governo dos Estados Unidos confirmou, no dia 13 de dezembro, que suas redes de computadores foram alvo de um ataque cibernético em grande escala via software da empresa SolarWinds.

    Até agora a ação afetou algumas das agências federais dos EUA, incluindo os Departamentos de Comércio e Tesouro, Defesa, Segurança Interna e também o Departamento de Estado.

    Na mídia o ataque também foi associado à Rússia, mas não foram apresentadas quaisquer provas disso. O porta-voz do presidente russo, Dmitry Peskov, declarou que a Rússia não tem qualquer relação com o incidente.

    Mais:

    'Atos foram feitos com celular de 50 €', diz hacker português que reivindica ataques ao TSE
    Ataque hacker? Justiça Federal do DF e de 13 estados no Brasil estão há mais de 24h fora do ar
    Embraer é alvo de ataque hacker e tem informações vazadas
    Polícia de Itália prende suspeitos que teriam hackeado empresa ligada à OTAN
    Tags:
    Donald Trump, hacker, cibersegurança, diplomacia, relações exteriores, China, Estado Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar