00:57 17 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    307
    Nos siga no

    O ministro da Unificação sul-coreano, Lee In-young, pediu na quinta-feira (3) à Coreia do Norte para se abster de provocar a futura administração do presidente eleito Joe Biden.

    "Eu repeti isso em várias ocasiões, mas nunca deve haver uma provocação da Coreia do Norte, pois [não só] vai contra o acordo assinado pelas duas Coreias [como] vai diretamente contra a vontade do nosso povo e do seu desejo de paz", declarou Lee em um fórum virtual, conforme citado pela agência de notícias Yonhap.

    O ministro da unificação recordou um acordo de 2018 assinado pelos líderes coreanos em Seul e Pyongyang, de modo a fim de reduzir as tensões na região e aumentar a cooperação, de acordo com a agência.

    Presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, faz discurso em Delaware
    © REUTERS / Jonathan Ernst
    Presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, faz discurso em Delaware
    Lee também expressou sua esperança em que os primeiros seis meses do governo de Biden, que deve tomar posse em 20 de janeiro de 2021, deem impulso ao processo de "desnuclearização completa e paz duradoura na península coreana".

    As negociações de desnuclearização entre Pyongyang e Washington foram paralisadas em 2019, após o presidente norte-americano Donald Trump ter abandonado uma cúpula em Hanói, no Vietnã. De igual modo, as tensões na península também aumentaram depois da explosão de um escritório de ligação conjunta na cidade fronteiriça de Kaesong em junho deste ano, supostamente orquestrada pela Coreia do Norte.

    Mais:

    Kim Jong-un recebeu vacina chinesa contra coronavírus, segundo especialista dos EUA
    Coreia do Norte executa agente aduaneiro que violou restrições relacionadas à COVID-19, diz mídia
    AIEA suspeita que Coreia do Norte mantém atividades nucleares em instalação secreta
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar