07:49 07 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1172
    Nos siga no

    A inteligência sul-coreana informou que Pyongyang advertiu a embaixadores de que seriam considerados responsáveis por qualquer problema com Washington.

    Coreia do Norte ordenou para que suas missões no exterior não causem divergência com os Estados Unidos durante a transição de poder em Washington, após a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais, segundo afirmaram funcionários do Serviço Nacional de Segurança de Inteligência da Coreia do Sul (NIS, na sigla em inglês) a um grupo de legisladores, reporta a agência Yonhap, citando o parlamentar Kim Byung-kee que participou da reunião.

    Pyongyang advertiu seus embaixadores que os mesmos seriam considerados responsáveis sobre qualquer problema que surgisse com Washington, destacou Kim Byung-kee.

    Além disso, a inteligência sul-coreana também afirmou ter detectado nervosismo dentro do governo norte-coreano depois que o acordo amigável entre o presidente dos EUA Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong-um se tornou "inútil" após a derrota eleitoral de Trump.

    O democrata Joe Biden foi apontado como vencedor das eleições de 3 de novembro pelos principais meios de comunicação dos Estados Unidos, tendo conquistado 306 delegados contra 232 do atual presidente, o republicano Donald Trump. O Colégio Eleitoral deve se reunir em 14 de dezembro para votar no próximo presidente dos EUA e será formado pelos delegados de cada estado norte-americano, conforme decidido pelo voto popular.

    Mais:

    Novo míssil norte-americano testado com sucesso em simulação de ataque da Coreia do Norte
    FOTOS de satélite sugerem que Coreia do Norte estaria treinando golfinhos para fins militares
    Rússia rechaça novas sanções dos EUA ligadas à Coreia do Norte
    EUA incluem empresas sediadas na Rússia à lista de sanções contra Coreia do Norte
    Tags:
    Joe Biden, Donald Trump, EUA, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar