12:09 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    251
    Nos siga no

    Nesta sexta-feira (20), o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev, em seu discurso à nação declarou que o conflito de Nagorno-Karabakh "ficou para trás".

    "O conflito armênio-azeri de Nagorno-Karabakh ficou para trás, isso também é notado pelos especialistas internacionais. O Azerbaijão, tendo alcançado uma brilhante vitória no campo de batalha, também conseguiu o que queria na arena política", afirmou Aliev.

    Líder azeri realçou que a declaração trilateral assinada pelos chefes de Estado da Rússia, Armênia e Azerbaijão sobre o fim de hostilidades em Nagorno-Karabakh corresponde plenamente aos interesses da república.

    "Depois disso, vamos acelerar nosso caminho do desenvolvimento. Obtivemos o que queríamos no campo de batalha. Nossos soldados e oficiais mostraram sua força. Nós mostramos nossa força também na arena política, e a declaração trilateral corresponde plenamente a nossos interesses", salientou.

    Além disso, em seu discurso Aliev declarou que a solução militar do conflito em Nagorno-Karabakh era um "direito internacional" do Azerbaijão.

    "Durante muitos anos tentamos resolver esta questão por vias políticas. Mas todo o mundo viu que foi precisamente devido à posição da Armênia que este assunto continuava sem solução, e uma solução militar para o conflito era nosso direito. Este direito nos foi atribuído é reconhecido pelas normas e princípios internacionais. Este direito foi-nos conferido por uma resolução da ONU. Cada país tem o direito de se defender, nós também nos defendemos", disse Aliev.
    Soldado azeri inspeciona uma cidade em território recuperado pelo Azerbaijão na região de Nagorno-Karabakh
    © REUTERS / Umit Bektas
    Soldado azeri durante conflito em Nagorno-Karabakh

    Por fim, o chefe de Estado azeri disse que Baku está pronta para estabelecer relações normais com Erevan se ao poder na Armênia chegarem "forças sadias". Segundo ele, "a Armênia atravessa atualmente uma profunda crise interna".

    "O mais provável é que, depois desta crise, ao poder chegarão forças sadias, se assim for, estamos prontos para estabelecimento de relações normais", notou.

    Em 9 de novembro, os presidentes azeri e russo, Ilham Aliev e Vladimir Putin, e o primeiro-ministro armênio, Nikol Pashinyan, assinaram uma declaração conjunta sobre o fim completo das hostilidades em Nagorno-Karabakh.

    Segundo a declaração, diversos distritos da república autoproclamada passam para o controle do Azerbaijão, Erevan e Baku vão realizar troca de prisioneiros. Foi ainda acordado que a Rússia enviaria um contingente de forças de paz para a faixa que conecta a Armênia a Nagorno-Karabakh. Parte deste contingente já chegou à região disputada.

    Mais:

    Rússia acusa Ocidente de tentar minar acordo de cessar-fogo em Nagorno-Karabakh
    Após conflito em Nagorno-Karabakh, maioria dos armênios considera a Rússia um aliado
    Patriarca armênio agradece a Putin por intervir por seu povo em Nagorno-Karabakh
    Tags:
    Rússia, Ilham Aliyev, cessar-fogo, Nagorno-Karabakh, Armênia, conflito armado, Azerbaijão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar