20:13 05 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2361
    Nos siga no

    Quinze países da Ásia-Pacífico selaram o maior acordo comercial do mundo, conhecido como Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês).

    A assinatura do acordo, que supõe um maior grau de abertura no comércio de bens e serviços entre as partes e reforça a proteção em áreas como o comércio eletrônico e a propriedade intelectual, ocorreu na 37ª cúpula da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN, na sigla em inglês), em Hanói.

    Reunião de líderes da Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês)
    © CC0
    Reunião de líderes da Parceria Econômica Regional Abrangente (RCEP, na sigla em inglês)

    O acordo é fruto de oito anos de negociações entre os membros da ASEAN (Brunei, Camboja, Filipinas, Indonésia, Laos, Malásia, Mianmar, Singapura, Tailândia e Vietnã) e os países com os quais o bloco regional tem acordos de livre comércio (Austrália, Coreia do Sul, China, Japão, Nova Zelândia e Índia, ainda que a última tenha anunciado em novembro de 2019 não assinaria o acordo por enquanto).

    O primeiro-ministro de Singapura, Lee Hsien Loong, citado pelo jornal Straits Times, qualificou o acordo como "um grande passo adiante para o mundo, em um momento em que o multilateralismo está perdendo terreno e o crescimento global está se desacelerando".

    "Demonstra nosso compromisso coletivo de manter abertas e conectadas as cadeias de fornecimento e de promover um comércio mais livre e uma interdependência mais estreita, especialmente frente à COVID-19, quando os países estão se retraindo e estão sob pressões protecionistas", salientou.

    Também o primeiro-ministro da China, Li Keqiang, citado pela agência Xinhua, destacou que "a assinatura da RCEP não é somente um feito histórico da cooperação regional do Leste Asiático, mas também uma vitória do multilateralismo e livre comércio", agregou.

    Entre os principais benefícios do acordo está a eliminação de tarifas de ao menos 92% dos bens comercializados entre os países participantes, segundo o Ministério do Comércio e Indústria de Singapura.

    De acordo com o portal da ASEAN, os países signatários representam 30% da população e do PIB mundial, e 28% do comércio global.

    Mais:

    Boris Johnson ameaça saída britânica da UE sem acordo se Bruxelas não mudar posição comercial
    Yuan desafia sistema financeiro mundial, diz presidente da Câmara de Comércio Brasil-China
    Especialista explica por que acordo comercial com China 'não é mais tão importante' para Trump
    Tags:
    acordo comercial, Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), Ásia, economia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar