20:16 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    4548
    Nos siga no

    Em discurso no fórum da Organização de Cooperação de Xangai (OCX), o presidente da China, Xi Jinping, convidou parceiros asiáticos e Rússia a se oporem à interferência de "forças externas", em possível referência aos EUA.

    Em seus primeiros comentários desde as eleições norte-americanas, o líder chinês não mencionou diretamente os EUA, nem citou como funcionários da administração Trump aumentam pressão sobre Pequim.

    "O mundo está entrando em um período de turbulência e transformação. Atualmente, a comunidade internacional enfrenta um grande teste de escolhas a serem feitas entre o multilateralismo ou unilateralismo, caráter aberto e isolamento, cooperação e confronto", disse Xi Jinping em declaração aos líderes dos países da OCX durante cúpula virtual na terça-feira (10).

    Durante o governo de Donald Trump, as tensões entre Pequim e Washington aumentaram bastante e, no seu discurso, o presidente chinês usou várias palavras utilizadas na política externa do país asiático para atacar Washington, escreve South China Morning Post.

    Xi Jinping apelou aos países-membros da Organização de Cooperação de Xangai para "se oporem firmemente à interferência de forças externas nos assuntos internos" de outros membros.

    Ele também alertou contra o aumento de "unilateralismo" no mundo, palavra usada frequentemente por Pequim para criticar Washington por ter saído do Acordo de Paris sobre o Clima e do acordo nuclear com o Irã.

    Mesmo depois de os principais meios de comunicação terem entregado a vitória nas eleições ao democrata Joe Biden, o secretário de Estado, Mike Pompeo, e outros funcionários da administração Trump intensificaram a pressão sobre a China.

    Na terça-feira (10), Pompeo disse que a administração Trump "ainda não terminou" com a China, afirmando em comentários separados que haverá uma "transição suave para a segunda administração Trump".

    Nos últimos dias, Trump afirmou repetidas vezes que as eleições nacionais sofreram fraudes, e que votos ilegais foram contabilizados a favor de Joe Biden.

    Mais:

    Biden mudará política para Coreia do Norte, resultado não deverá ser positivo, acredita analista
    Partido Democrata não deve conseguir unir norte-americanos se Biden ganhar, segundo especialista
    Trump emite ordem que proíbe americanos de investirem em empresas vinculadas a militares chineses
    Tags:
    Donald Trump, Mike Pompeo, tensão política, Estados Unidos, Rússia, Organização da Cooperação de Xangai, Xi Jinping
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar