19:14 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    115
    Nos siga no

    Turquia recusou passagem de aeronave dos EUA com ajuda humanitária destinada às vítimas do conflito em Nagorno-Karabakh pelo seu espaço aéreo, revelou na quarta-feira (14) o comissário para assuntos da diáspora do gabinete do primeiro-ministro da Armênia.

    "Neste momento, 100 toneladas de ajuda humanitária estão prontas para ser enviadas para a Armênia, mas a Turquia proibiu a passagem da ajuda humanitária pelo seu espaço aéreo, por isso o voo foi adiado", declarou o comissário para assuntos da diáspora armênia, Zare Sinanyan, durante coletiva de imprensa.

    Segundo o comissário, a Armênia já recebeu cerca de 700 toneladas de ajuda humanitária de vários países, como Rússia, EUA, França e outras nações europeias. Sinanyan acrescentou que médicos de Rússia, EUA e de países europeus estão indo à região conflituosa de Nagorno-Karabakh para prestação de assistência médica aos feridos.

    Secretário de Estado dos EUA acusa Turquia de reforçar Azerbaijão

    Nesta quarta-feira (14), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, comentou o conflito de Nagorno-Karabakh em coletiva de imprensa.

    "[…] Temos assistido aos relatos de mortes de civis. Temos visto a Turquia começando a reforçar o Azerbaijão. Solicitamos a cada ator internacional para que ficasse fora da região, e não para que reforçasse os problemas. Estamos trabalhando para que isso seja cumprido. Estamos usando as nossas ferramentas diplomáticas para tentar chegar a um resultado em que seja alcançado um recuo, um cessar-fogo", afirmou Pompeo.
    Consequências do bombardeio de Stepanakert, capital da república não reconhecida de Nagorno-Karabakh (foto de arquivo)
    © Sputnik
    Consequências do bombardeio de Stepanakert, capital da república não reconhecida de Nagorno-Karabakh (foto de arquivo)

    Ilham Aliev nega uso de mercenários pelo Azerbaijão

    Por sua vez, o presidente do Azerbaijão, Ilham Aliev, declarou que nenhum país apresentou provas de uso de mercenários por Baku em Nagorno-Karabakh.

    "Nós não temos mercenários. Esta é a nossa declaração oficial. Já se passaram mais de duas semanas desde o início do conflito, e nenhum país nos apresentou quaisquer provas em relação a isso. Além disso, não precisamos [de mercenários]. Temos um Exército de mais de 100 mil soldados. Tudo o que fazemos hoje no campo de batalha mostra que o nosso Exército é capaz de libertar as suas próprias terras", afirmou o líder azeri em entrevista ao canal France 24.

    O conflito, que se agravou em 27 de setembro, teve início em fevereiro de 1988, quando Nagorno-Karabakh declarou independência em relação à República Socialista Soviética do Azerbaijão, iniciando uma guerra que culminou com a perda de controle do território pelo Azerbaijão.

    Mais:

    Lavrov sugere posicionamento de observadores russos na linha de contato de Nagorno-Karabakh
    Erevan acusa Azerbaijão de atacar hospital em Nagorno-Karabakh
    Novo grupo de mercenários sírios se prepara para ir a Nagorno-Karabakh
    Tags:
    ajuda humanitária, mercenários, Turquia, EUA, Mike Pompeo, Armênia, Azerbaijão, Nagorno-Karabakh, conflito armado
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar