05:31 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    111632
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa de Taiwan declarou nesta segunda-feira (21) que as Forças Armadas da ilha têm o direito de se defender e contra-atacar, citando "assédio e ameaças" em um aviso à China.

    Os militares da ilha disseram que várias aeronaves chinesas cruzaram a linha média do estreito de Taiwan e entraram na zona de identificação de defesa aérea na sexta-feira (18) e no sábado (19).

    Em resposta, Taiwan teve que preparar jatos para interceptar, de acordo com os militares em Taipei, que tinham procedimentos "claramente definidos" para a primeira resposta da ilha em meio à "alta frequência de assédio e ameaças de navios de guerra e aeronaves inimigas neste ano".

    A ilha afirma ter o direito de se defender e contra-atacar e "não tem medo do inimigo", mas não o provoca.

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, afirmou a repórteres em Pequim nesta segunda-feira (21) que "Taiwan é uma parte inseparável do território chinês", acrescentando que "a chamada linha média do estreito não existe".

    As tensões aumentaram drasticamente nos últimos meses entre Taipei e Pequim, e os exercícios chineses ocorreram na semana passada, depois que Pequim expressou discordância pelas visitas de altos funcionários dos EUA a Taipei.

    Porta-aviões chinês Liaoning realizando exercícios no mar do Sul da China acompanhado por fragatas e submarinos (foto de arquivo)
    © AP Photo / Li Gang/Xinhua
    Porta-aviões chinês Liaoning realizando exercícios no mar do Sul da China acompanhado por fragatas e submarinos (foto de arquivo)

    Em agosto, o secretário de Saúde dos EUA, Alex Azar, visitou Taiwan. Outra visita, de Keith Krach, subsecretário para assuntos econômicos, ocorreu na semana passada.

    Enquanto isso, o editorial do jornal oficial China Daily nesta segunda-feira (21) afirmou que os EUA estavam tentando usar Taiwan para conter a China.

    Na semana passada, o senador republicano Rick Scott apresentou nos EUA um projeto de lei "para impedir o uso da força pela China" contra Taiwan. A proposta de Lei de Prevenção de Invasão de Taiwan visa estabelecer "autorização limitada para o presidente [dos EUA] usar força militar com o propósito específico de proteger e proteger Taiwan contra ataques armados", informou um comunicado de Scott na quinta-feira (17).

    O projeto de lei permitiria aos EUA reforçar sua política de longa data sobre Taiwan, fortalecendo a capacidade da ilha de resistir às ações da China.

    Mais:

    China promete 'neutralizar' EUA caso vendas de armas a Taiwan continuem
    Destróier dos EUA atravessa estreito de Taiwan rumo ao mar do Sul da China
    Navios da China e dos EUA são avistados próximo de Taiwan, diz mídia
    Tags:
    diplomacia, interferência estrangeira, interferência chinesa, segurança, defesa, Estados Unidos, China, Estreito de Taiwan, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar