18:56 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    191
    Nos siga no

    A polícia de Hong Kong informou neste domingo (6) que pelo menos 90 pessoas foram detidas por participarem de protestos não autorizados contra a nova Lei de Segurança Nacional e a decisão do governo de adiar as eleições para o Conselho Legislativo.

    No final de julho, a chefe do Executivo de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou que as eleições inicialmente programadas para ocorrer neste mês foram adiadas para 5 de setembro de 2021 por conta da pandemia de COVID-19. Pouco depois, o Congresso Nacional do Povo da China estendeu o mandato do Conselho Legislativo de Hong Kong por um ano.

    A polícia de Hong Kong também alertou os manifestantes que responderá de forma decisiva a todas as violações da lei.

    De acordo com o jornal South China Morning Post, a polícia usou spray de pimenta contra manifestantes antigovernamentais que se reuniram na área norte da cidade de Kowloon.

    A Lei de Segurança Nacional, adotada pela China no final de junho, criminaliza a secessão, subversão, conluio e terrorismo na Região Administrativa Especial de Hong Kong. Pequim afirma que só terá como alvo atividades subversivas e terroristas na região, enquanto ativistas pró-democracia locais, assim como muitos países ocidentais, expressaram preocupação de que as novas regras podem minar as liberdades civis de Hong Kong.

    Mais:

    Washington sanciona o Executivo de Hong Kong e autoridades da China continental
    Magnata da mídia de Hong Kong é preso sob nova lei de segurança nacional chinesa
    China decide sancionar políticos americanos por 'comportamento errado' em relação a Hong Kong
    Hong Kong cancela acordos de extradição com Alemanha e França
    COVID-19: pesquisadores de Hong Kong relatam 1º caso documentado de reinfecção
    Frango de Santa Catarina é liberado em Hong Kong após bloqueio por COVID-19
    Tags:
    COVID-19, protesto, Hong Kong, eleições
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar