15:45 20 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5142
    Nos siga no

    O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou aos seus parceiros de coalizão que está planejando deixar o governo, relata mídia local.

    Anteriormente, o canal NHK relatou que Abe estava planejando deixar o cargo devido a questões de saúde.

    O ex-chanceler Fumio Kishida disse estar pronto para ser seu sucessor, informa a agência Kyodo.

    Na sexta-feira (28), as preocupações com sua saúde e a especulação sobre sua permanência no governo cresceram significativamente, após Abe ter realizado pelo menos duas visitas ao Hospital Universitário Keio na semana passada. Uma de suas visitas durou quase oito horas.

    Os aliados do Partido Liberal Democrata (LDP), no governo, enfatizaram nesta semana que Abe continuaria como líder do governo até o final de mandato, em setembro de 2021. O principal porta-voz do governo, Yoshihide Suga, disse que se reunia com Abe duas vezes por dia, e que não notou nada que pudesse indicar que ele estava com problemas de saúde.

    "É prematuro falar do 'pós-Abe', pois ele ainda tem mais de um ano de mandato", disse Suga nesta semana.

    Na sexta-feira (28), a mídia japonesa citou fontes do governo dizendo que Abe consultaria novamente os médicos, possivelmente por telefone, antes de falar em uma coletiva de imprensa às 17h00, horário local (05h00, horário de Brasília).

    Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, chega no Hospital Universitário de Keio, em Tóquio, Japão, 17 de agosto de 2020
    © REUTERS / Kyodo
    Primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, chega no Hospital Universitário de Keio, em Tóquio, Japão, 17 de agosto de 2020

    Abe, que completa 66 anos no próximo mês, até agora pouco falou publicamente sobre suas visitas hospitalares, dizendo aos repórteres que tem procurado dar mais atenção à sua saúde e continuar seu trabalho.

    O chefe do governo, que iniciou seu segundo mandato em 2012, é conhecido por sofrer de colite ulcerativa, uma condição crônica que teria sido em parte responsável por ter deixado prematuramente o cargo durante seu mandato anterior como premiê, entre 2006 e 2007. Quando entrou no segundo mandato, Shinzo Abe garantiu que poderia controlar eficazmente os sintomas graças a um novo medicamento, que não estava disponível antes.

    Mais:

    Japão aciona caças para acompanhar bombardeiros russos Tu-95MS sobre Pacífico (VÍDEO)
    Japão registra queda histórica do PIB no 2º trimestre
    Bombardeiros dos EUA realizam exercício militar com Japão e outros parceiros no Indo-Pacífico
    Tags:
    governo, Ásia, saúde, primeiro-ministro, Shinzo Abe, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar