11:41 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    125
    Nos siga no

    O presidente-executivo do TikTok anunciou sua demissão em um momento em que a plataforma se encontra pressionada pela administração Trump.

    Kevin Mayer, presidente-executivo do TikTok, anunciou nesta quarta-feira (26) sua demissão, enquanto a plataforma de publicação de vídeos segue sendo pressionada pelas autoridades norte-americanas, que prometeram proibir o seu funcionamento nos EUA.

    "Nas últimas semanas, à medida que o ambiente político mudou drasticamente, fiz uma reflexão significativa sobre o que as mudanças estruturais corporativas exigirão e o que elas significam para o papel global para o qual me candidatei", escreveu Kevin Mayer, citado pela CNBC.

    "Neste contexto, e enquanto esperamos chegar a uma resolução em breve, gostaria de informar que infelizmente decidi abandonar a empresa", informou.

    No dia 14 de agosto, o presidente dos EUA, Donald Trump, proibiu empresas norte-americanas de realizar transações comerciais com o TikTok e com a companhia chinesa proprietária do aplicativo, a ByteDance.

    Logotipo da Bytedance, companhia chinesa proprietária do TikTok
    © REUTERS / Thomas Suen
    Logotipo da Bytedance, companhia chinesa proprietária do TikTok

    De acordo com a ordem de Trump emitida em agosto, a ByteDance tinha um prazo de 90 dias para encontrar um comprador para as operações do app nos EUA. A empresa vinha conversando com potenciais compradores, como, por exemplo, a Microsoft Corp e a Oracle.

    Trump acusa o TikTok, que tem aproximadamente 80 milhões de usuários nos EUA, mais conhecido por vídeos de dança populares entre os jovens, de servir como meio de espionagem para Pequim, passando dados de cidadãos norte-americanos para a China. A ByteDance, por sua vez, nega as acusações.

    Mais:

    Após tensão na fronteira, Índia proíbe TikTok e dezenas de aplicativos chineses
    Amazon afirma que pedido para funcionários apagarem TikTok foi enviado por engano
    EUA podem proibir aplicativos chineses, incluindo TikTok, diz secretário de Estado
    Tags:
    China, espionagem, diretor, demissão, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar