23:21 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    1102
    Nos siga no

    Neste sábado (22), o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Índia, Anurag Srivastava, pediu à China e ao Paquistão que se abstenham de interferir em assuntos internos indianos e criticou a declaração conjunta de Islamabad e Pequim sobre Jammu e Caxemira.

    Na sexta-feira (21), o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, se reuniu com o chanceler paquistanês, Shah Mahmood Qureshi, para uma segunda rodada do Diálogo Estratégico dos Ministros das Relações Exteriores de China e Paquistão na província chinesa de Hainan.

    Após a reunião, os lados emitiram uma declaração conjunta que mencionou que o lado paquistanês informou o lado chinês sobre os recentes acontecimentos na Caxemira e que a China se opõe a "qualquer ação unilateral que complique a situação" na região.

    Soldado observa família durante propagação do COVID-19 na cidade de Srinagar, na região indiana da Caxemira, 11 de abril de 2020
    Mukhtar Khan
    Soldado observa família durante propagação do COVID-19 na cidade de Srinagar, na região indiana da Caxemira, 11 de abril de 2020

    O porta-voz da chancelaria indiana criticou o teor da declaração e pediu que não haja interferência na questão, apontada como um assunto interno da Índia.

    "Como no passado, rejeitamos categoricamente a referência ao Território da União de Jammu e Caxemira no Comunicado de Imprensa Conjunto da 2ª Rodada do Diálogo Estratégico dos Ministros das Relações Exteriores entre China e Paquistão. O Território da União de Jammu e Caxemira é um território integral e inalienável da Índia e esperamos que as partes envolvidas não interfiram em assuntos que são assuntos internos da Índia", disse Srivastava por meio de comunicado publicado neste sábado (22).

    O porta-voz também disse que a Índia expressou repetidamente suas preocupações com o Corredor Econômico China-Paquistão. A iniciativa com investimento de US$ 62 bilhões (cerca de R$ 348 bilhões) faz parte do projeto chinês da Nova Rota da Seda e visa construir projetos de infraestrutura em territórios do Paquistão reivindicados pela Índia.

    Soldados indianos realizando partrulhamento na fronteira entre China e Índia (foto de arquivo)
    © AFP 2020 / BIJU BORO
    Soldados indianos realizando partrulhamento na fronteira entre China e Índia (foto de arquivo)

    A Índia e o Paquistão protagonizam uma disputa histórica sobre os territórios da Caxemira e Jammu, com ocorrências e conflitos armados recorrentes na região que divide as duas potências nucleares. Recentemente, tensões militares também eclodiram entre Índia e China devido a uma disputa territorial, resultando em confrontos e mortos.

    Mais:

    Índia exorta Paquistão a deixar territórios 'ilegalmente ocupados'
    Índia se prepara para instalar 35 mil soldados ao longo da fronteira com China, diz Bloomberg
    'É um mundo multipolar': Índia não se tornará baluarte dos EUA contra China, aponta especialista
    Índia tenta usar estratégias dos EUA para conter influência da China, diz analista
    Tags:
    Shah Mahmoud Quraishi, Wang Yi, Islamabad, Pequim, Jammu e Caxemira, Paquistão, China, Índia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar