05:39 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5270
    Nos siga no

    Os Estados Unidos não têm o direito de pedir ao Conselho de Segurança da ONU que lance o mecanismo de 'snapback', que permite a reimposição de sanções a Teerã, depois que Washington deixou o acordo nuclear, declarou Pequim.

    O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, disse nesta quinta-feira (20) que, dado que os EUA já haviam declarado sua retirada do Plano Conjunto de Ação Integral Conjunto (JCPOA), "não tem a devida competência para exigir sanções".

    Esta posição chinesa é compartilhada pela maioria dos membros do Conselho de Segurança da ONU e por um amplo consenso internacional, de acordo com Zhao.

    Pequim se opõe firmemente a sanções unilaterais e "jurisdições de longo alcance" impostas pelos EUA contra outros países, acrescentou. A China também insta Washington a observar seriamente as resoluções do Conselho de Segurança e cumprir suas obrigações internacionais.

    O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse na quarta-feira (19) que planeja informar o Conselho de Segurança da ONU no dia seguinte sobre a decisão de Washington de lançar o processo de restabelecimento das sanções anti-iranianas, que deve entrar em vigor em 30 dias.

    Membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas convocam uma reunião sobre o Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares na sede das Nações Unidas, 26 de fevereiro de 2020
    © AP Photo / Bebeto Matthews
    Reunião do Conselho de Segurança da ONU em Nova York

    A medida ocorre depois que um projeto de resolução dos EUA sobre a extensão do embargo de armas contra o Irã não conseguiu garantir votos suficientes no Conselho de Segurança em 14 de agosto. Rússia e China votaram contra, enquanto 11 países se abstiveram na votação.

    Pompeo também alertou que os Estados Unidos estão prontos para sancionar a Rússia e a China se se opuserem ao esforço de "revogar" as sanções a Teerã.

    Reagindo ao comentário, Zhao destacou que quaisquer sanções contra a China e a Rússia devem ser consideradas ilegais devido à retirada anterior dos EUA do acordo nuclear com o Irã, que privou Washington de competência para apresentar quaisquer demandas sobre esta questão.

    Ameaças dos EUA de levantar a questão de restaurar todas as sanções anteriormente levantadas contra o Irã podem levar a uma grave crise no Conselho de Segurança da ONU, advertiu o vice-ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Ryabkov, em 10 de junho.

    O oficial russo também lembrou a Washington que havia se retirado do JCPOA, e criticou os EUA por tentarem "escolher o que serve aos seus interesses" sem levar em conta as opiniões dos outros.

    Mais:

    Irã diz que se EUA querem ajudar o Líbano, deveriam suspender sanções
    Pompeo diz que suspender embargo ao Irã é 'loucura' e vai fazer o possível para que isso não ocorra
    EUA tentam 'encobrir erros no Afeganistão' ao acusar o Irã de apoio ao Talibã, diz oficial iraniano
    Tags:
    diplomacia, Sergei Ryabkov, armas nucleares, Rússia, sanções, Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), acordo nuclear, Conselho de Segurança da ONU, Estados Unidos, China, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar