02:20 01 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    71315
    Nos siga no

    Taiwan assinou formalmente um acordo para comprar 66 dos mais recentes jatos F-16 da montadora Lockheed Martin, marcando a primeira venda de caças avançados para Taiwan desde 1992.

    Na sexta-feira (14), o Departamento de Defesa dos EUA publicou a cópia de um contrato que mostra que a Lockheed Martin vai receber US$ 62 bilhões (R$ 336 bilhões) para a produção de 90 aeronaves F-16, 66 das quais serão compradas por Taipé.

    De acordo com o anúncio do Pentágono, a construção dos 90 jatos será concluída até 31 de dezembro de 2026.

    Esta é a maior venda militar dos EUA a Taiwan desde 1992, quando o então presidente dos EUA George H.W. Bush (1989-1993) aprovou a venda de 150 aeronaves F-16.

    Quando a venda planejada foi anunciada em agosto de 2019, Hua Chunying, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, disse aos repórteres que "as vendas de armas dos EUA para Taiwan violam gravemente o princípio de uma só China".

    Chunying também observou que o governo chinês estava instando os EUA a se absterem de vender os "caças a Taiwan e interromperem a venda de armas e o contato militar com Taiwan".

    "Caso contrário, o lado chinês certamente terá fortes reações, e os EUA terão que suportar todas as consequências", acrescentou ela.

    Embora tenha adotado a "política de uma só China" em 1979, que reconhece a visão de Pequim de que Taiwan é uma parte inseparável da China, os EUA mantêm estreitos laços comerciais independentes com Taiwan e são seu principal fornecedor de defesa.

    O mais recente contrato é suscetível de agravar ainda mais as relações entre os EUA e a China.

    Mais:

    F-16 de Taiwan voam com mísseis antinavio para conter a China, diz mídia (FOTOS)
    Força Aérea e Marinha dos EUA conduzem exercícios conjuntos no mar Negro (VÍDEO)
    Aviões espiões dos EUA são flagrados perto da China e de Taiwan
    Tags:
    Hua Chunying, China, Lockheed Martin, F-16, Taiwan, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar