11:29 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2321
    Nos siga no

    O país asiático lançou o último satélite necessário para operar o sistema, o BDS-3, planejando assim reduzir sua dependência de tecnologias de terceiros para a navegação por satélite.

    Nesta sexta-feira (31), a China ativou seu próprio sistema de navegação por satélite, conhecido como BeiDou-3 (BDS-3), que será uma alternativa ao GPS norte-americano e ao GLONASS russo, relata a agência SINA.

    Isto foi possível após o último satélite necessário para operar o sistema inteiro ter sido lançado na semana passada. O evento, realizado no Grande Salão do Povo em Pequim, contou com a presença do presidente Xi Jinping.

    "O BDS é o resultado dos esforços de um exército de trabalhadores, mobilizado pelo partido e pela nação, do trabalho duro de centenas de milhares de engenheiros de todas as áreas e do apoio firme do público", afirmou o designer-chefe do projeto, Yang Changfeng.

    Existem três subsistemas que compõem o BDS, que são operados por 55 satélites na órbita da Terra. O primeiro deles, BeiDou-1, foi concluído em 2000, enquanto o segundo foi lançado em 2012.

    Este ambicioso projeto, que começou em 1994, tem como objetivo competir diretamente com o GPS e substituí-lo pelo BDS no país asiático. Desta forma, o plano é diminuir a dependência das tecnologias norte-americanas.

    Mais:

    China se junta à corrida para encontrar vida extraterrestre com telescópio FAST, detalha acadêmico
    Aviões de reconhecimento top de linha dos EUA usam sistemas de navegação chinês e russo
    Especialista analisa perspectivas do novo sistema de navegação chinês
    Tags:
    Xi Jinping, Pequim, Grande Salão do Povo, Glonass, GPS, Rússia, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar