10:34 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)
    1130
    Nos siga no

    A construção de uma base de produção de vacinas contra a COVID-19 começou no sábado (11) na Zona Franca de Ningbo, China, devendo entrar em funcionamento em março de 2021.

    O valor total do investimento é avaliado em 2,5 bilhões de yuans (R$ 1,909 bilhão), dos quais 500 milhões (R$ 420 milhões) serão utilizados na pesquisa, desenvolvimento e produção de uma vacina eficaz contra o novo coronavírus.

    "Partindo do princípio de garantir a qualidade, aceleraremos a construção da instalação de [produção de] vacinas, e nos esforçaremos para pô-la em funcionamento em março próximo. Faremos igualmente o nosso melhor para conseguir a produção da vacina contra a COVID-19 em Ningbo na primeira metade do próximo ano", disse Yan Rongjie, diretor do comitê administrativo, escreve o jornal Global Times.

    ​Em 11 de julho, começou a construção da primeira instalação de produção de vacinas contra a COVID-19 na província de Zhejiang: a instalação industrial Aimei Rongan, na Zona Franca de Ningbo.

    O projeto será implementado em três etapas, a primeira custará 1,3 bilhão de yuans (R$ 993 milhões), para colocar no mercado uma vacina contra o novo coronavírus, bem como uma nova vacina contra a raiva para uso humano, ao mesmo tempo que será construído um laboratório biológico de alto nível.

    Falando sobre o fato de a vacina contra a COVID-19 e a vacina contra a raiva serem produzidas na mesma instalação, Tao Lina, uma especialista em vacinas baseada em Xangai, disse que ambas são vacinas inativadas, que têm o mesmo processo e tecnologia.

    Esta será a terceira base de produção de vacinas contra a COVID-19 na China.

    Uma subsidiária da China Electronics e o Sinopharm China National Biotec Group (CNBG) já abriram duas instalações similares, com uma produção anual respectiva de 100 milhões e 120 milhões de doses, informou a mídia em maio passado.

    Tema:
    Pandemia da COVID-19 no mundo em meados de julho (46)

    Mais:

    Governo zera tarifas de medicamentos usados no combate ao coronavírus
    Desmatamento na Amazônia e crise do coronavírus: analistas preveem Brasil isolado
    Sem vacina em 2020: 'abre e fecha' será rotina no Brasil da COVID-19, prevê pneumologista
    Tags:
    medicina, doenças, vírus, vacinação, vacina, COVID-19, novo coronavírus, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar