08:08 29 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5814
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da China afirma que as medidas contra congressistas dos EUA são uma resposta às sanções dos EUA introduzidas anteriormente contra políticos chineses.

    Nesta segunda-feira (13), Pequim anunciou sanções contra altos responsáveis e entidades dos EUA, incluindo o senador republicano Marco Rubio, em retaliação às sanções de Washington contra altos funcionários chineses pela suposta repressão da etnia uigur na Região Autônoma chinesa de Xinjiang.

    As sanções chinesas serão aplicadas à Comissão Executiva do Congresso dos EUA para a China, senadores Marco Rubio e Ted Cruz, congressista Chris Smith, de acordo com a chancelaria.

    A aplicação das medidas contra os EUA foi anunciada pela porta-voz da chancelaria chinesa, Hua Chunying, durante briefing diário.

    Anteriormente, Zhao Lijian, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, afirmou que, com as medidas contra autoridades chinesas, Washington cometeu uma grave interferência nos assuntos internos da China, profundamente prejudicial para as relações bilaterais.

    Segundo o Departamento do Tesouro dos EUA, as medidas punitivas impostas contra os funcionários chineses estariam relacionadas com "a detenção arbitrária massiva e o abuso físico severo" de uma minoria étnica.

    Em maio, o Congresso dos EUA aprovou uma lei exigindo sanções contra altos funcionários chineses por alegada opressão dos muçulmanos uigures na região de Xinjiang, no noroeste do país.

    Mais:

    EUA adotam sanções contra membros do Partido Comunista da China
    China usa sanções dos EUA para conquistar independência do dólar
    China deveria ter medo das sanções financeiras norte-americanas?
    Tags:
    senadores, Ministério das Relações Exteriores da China, contrassanções, sanções, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar