00:01 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5171
    Nos siga no

    A China se recusa a entrar em negociações trilaterais sobre redução de armas nucleares, argumentando que os EUA não clarificaram seu objetivo para o fazer e têm muitas mais ogivas que Pequim.

    A China está pronta para participar das conversações de desarmamento com os EUA e a Rússia se Washington concordar em reduzir seu arsenal nuclear para o nível chinês, disse Fu Cong, diretor-geral do Departamento de Controle de Armas do Ministério das Relações Exteriores da China.

    "Os Estados Unidos ainda não nos disseram o que querem de nossa participação nas conversações: que aumentemos nosso arsenal nuclear para o nível dos Estados Unidos, ou que os Estados Unidos estejam prontos para reduzir seu arsenal para o nível da China", apontou Fu.

    "Se os Estados Unidos concordarem em reduzir seu arsenal nuclear para o nível da China, nós nos juntaremos às conversações no dia seguinte."

    A China tem repetidamente se recusado a discutir o futuro do Tratado de Redução de Armas Estratégicas (Novo START ou START III), argumentando que tem apenas uma fração dos arsenais nucleares dos EUA e da Rússia.

    De acordo com uma declaração anterior do porta-voz do ministério chinês, Zhao Lijian, os EUA deveriam primeiro "responder aos apelos do lado russo para prorrogar o tratado Novo START e reduzir seu próprio arsenal nuclear, de maneira a criar condições para que outros países se juntem às negociações multilaterais sobre desarmamento nuclear".

    O START III é o último tratado de controle de armas remanescente entre a Rússia e os EUA após o colapso do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário em 2019. O pacto, que expira em fevereiro de 2021, estipula a redução do número de lançadores de mísseis nucleares estratégicos para metade e limita o número de ogivas nucleares estratégicas a 1.550.

    A Rússia quer que o atual acordo seja prorrogado por mais cinco anos, enquanto os EUA ainda não apresentaram seus planos em relação ao tratado, mas têm defendido um acordo trilateral de controle de armas com a Rússia e a China.

    É estimado que a Rússia e os EUA tenham um pouco mais de 6.000 ogivas cada, enquanto a China tem 290, a França 300 e o Reino Unido 200, de acordo com os números de 2019 fornecidos pela Associação de Controle de Armas sediada nos EUA.

    Mais:

    EUA criam 'porta secreta' em negociações do START III para poder sair do tratado, diz especialista
    SIPRI: mundo segue modernizando arsenais nucleares apesar de Rússia e EUA reduzirem ogivas
    Trump: EUA e Rússia estão dispostos a avançar em acordo de controle de armas
    Rússia: ter Índia e Paquistão no tratado de não proliferação nuclear seria um 'desastre'
    EUA rejeitaram reunião para abordar tratado de armas nucleares, diz diplomata russo
    Tags:
    Reino Unido, França, Ministério das Relações Exteriores da China, Ministério das Relações Exteriores, Fu Cong, START III, China, Rússia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar