04:02 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6663
    Nos siga no

    A Coreia do Norte mantém relações comerciais estreitas com seus vizinhos e segue forjando negócios em meio às sanções da ONU.

    O país comercializa produtos e recursos naturais com os países próximos, sendo que um desses recursos é a areia, algo que poucos imaginariam, porém, adquirido frequentemente.

    Poucos sabiam que Pyongyang vendia areia, material comercializado há tempos e com escala de negócios desconhecida por muitos.

    Analistas do Centro de Estudos Avançados de Defesa (C4DS, na sigla em inglês), Lucas Kuo e Lauren Sung, notaram a presença de muitos navios na baía de Haeju, nas proximidades das águas territoriais da Coreia do Sul, sendo que parte dessas águas é disputada.

    Líder norte-coreano, Kim Jong-un, esconde a mão no casaco durante cerimônia de inauguração de estrada de ferro
    © Sputnik / Vitaly Ankov
    Líder norte-coreano, Kim Jong-un, esconde a mão no casaco durante cerimônia de inauguração de estrada de ferro

    No dia 16 de maio de 2019, foram notadas 112 embarcações na região, sendo que ao menos cinco delas não eram navios convencionais, mas, sim, navios-draga que estavam na costa norte-coreana para escavar a areia no fundo da baía.

    A maioria das demais embarcações era barcaças que transportavam areia ao país consumidor, a China.

    O C4ADS rastreou centenas de embarcações que estariam dragando areia na baía de Haeju. Segundo eles, a extração de areia e seus suprimentos para a China violam a resolução 2397 do Conselho de Segurança da ONU, aprovada em 2017. Quando a ONU impôs sanções às exportações de terra e pedra.

    Entretanto, o C4ADS afirma não ter encontrado no documento nenhuma menção do embargo à venda ou qualquer outro tipo de distribuição de areia especialmente extraída do fundo do mar ou do rio.

    A Coreia do Norte pratica a venda de areia há muito tempo, confirmou à Sputnik, Andrei Lankov, especialista na Coreia e diretor da consultoria Korea Risk Group. Ele também declarou que é muito provável que esta informação esteja correta e adicionou que a Coreia do Norte "por razões absolutamente lógicas faz todo o possível para violar o regime das sanções".

    "A Coreia do Norte trata de vender tudo que pode de maneira discreta", afirmou o especialista, ressaltando que Pyongyang não cumpre as sanções e não planeja cumpri-las.

    Até 2017, a areia era um item frequentemente adquirido pelos vizinhos da Coreia do Norte, sendo um verdadeiro tesouro dourado para sua economia.

    No período entre 1991 e 2017, Japão, Coreia do Sul, Taiwan, China e Rússia importaram areia da Coreia do Norte. Cada país importador recebeu diferentes quantidades ao longo de duas décadas e meia. Sendo que o maior importador foi a Coreia do Sul, segundo o C4ADS.

    A areia é um material muito importante pois é utilizada frequentemente como base para importantes elementos de arquitetura, como o concreto e o vidro. Além disso, a areia foi utilizada para a produção de elementos cruciais para a eletrônica como os microchips de silício.

    O material é o recurso natural mais extraído do mundo e sua demanda superou a oferta. Consequentemente, seu valor no mercado cresceu consideravelmente nos últimos anos.

    Hoje, a venda de areia ocupa um lugar significativo no comércio exterior da Coreia do Norte, afirma Andrei Lankov.

    Mais:

    Coreia do Norte diz que relação com os EUA vive situação de 'desespero'
    Coreia do Norte adverte EUA a 'não se intrometerem' na relação com Coreia do Sul
    Coreia do Norte pretende cortar comunicações com Seul, diz agência sul-coreana
    Tags:
    negócios, descoberta, ouro, tesouro, areia, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar