03:19 15 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3102
    Nos siga no

    A polícia de choque perseguiu manifestantes pelos shoppings de Hong Kong neste domingo (11) após ativistas fazerem comícios instantâneos na multidão pedindo a independência da ilha e a saída da impopular líder da cidade.

    A cidade semi-autônoma chinesa convulsionou por sete meses seguidos de protestos pró-democracia, muitas vezes violentos, no ano passado, com milhões de pessoas nas ruas, informa a agência de notícias AFP.

    Prisões em massa e a pandemia de coronavírus deram início a um período de calma forçada.

    Mas com Hong Kong enfrentando com sucesso seu surto de coronavírus, pequenos protestos surgiram mais uma vez na última quinzena.

    Pequenas manifestações estouraram em pelo menos oito shoppings durante a tarde de domingo, levando a polícia de choque a entrar e dispersar multidões de ativistas e compradores.

    Pelo menos três prisões foram feitas enquanto grupos de policiais realizavam várias revistas.

    "Isso é apenas um aquecimento, nosso movimento de protesto precisa começar de novo", disse à AFP um estudante universitário que deu o nome de "B". "É um sinal de que o movimento está voltando à vida, todos precisamos acordar agora."

    Mais:

    Passageiros têm autorização para sair de cruzeiro em quarentena em Hong Kong
    Cachorro testa positivo para coronavírus e entra em quarentena em Hong Kong
    Hong Kong diz ter 'receita' para acabar com coronavírus
    Cientistas de Hong Kong preocupados com novo vírus transmitido por ratos
    Tags:
    China, COVID-19, pandemia, Hong Kong
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar