07:12 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2142
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da China criticou os EUA por "politizar" a maneira como outras nações trabalham em projetos civis de energia nuclear. Washington havia alegado anteriormente que a China está minando as salvaguardas globais de não proliferação.

    "Nos últimos anos, os Estados Unidos têm usado vários pretextos para desacreditar e suprimir a cooperação normal em energia nuclear entre outros países", afirmou o porta-voz do ministério, Geng Shuang, a repórteres em uma entrevista diária nesta sexta-feira (24).

    Algumas altas autoridades norte-americanas declararam publicamente que a cooperação em energia nuclear deveria ser usada como uma ferramenta geopolítica. A China se opõe fortemente a esse modo de politizar a cooperação em energia nuclear.

    Geng estava respondendo a uma pergunta sobre o recente relatório de política do Grupo de Trabalho sobre Combustível Nuclear dos EUA, cujos membros incluem o secretário de Energia Dan Brouillette e o secretário do Interior David Bernhardt.

    Em seu relatório, publicado na quinta-feira (23), as autoridades acusaram Pequim e Moscou de não manter seus parceiros comerciais com os "mesmos altos padrões" dos EUA e de usar "padrões mais baixos como ponto de venda".

    Alegou-se ainda que empresas chinesas e russas permitem que países estrangeiros importem tecnologia nuclear "sem as mesmas salvaguardas de não proliferação exigidas pelos Estados Unidos e seus aliados".

    Canais hídricos perto da usina nuclear Florida Power & Light’s Turkey Point (FPL), nos EUA
    © AP Photo / Wilfredo Lee
    Canais hídricos perto da usina nuclear Florida Power & Light’s Turkey Point (FPL), nos EUA

    'Completamente inconsistentes com os fatos'

    Tratando as alegações do relatório como "completamente inconsistentes com os fatos", Geng disse que Pequim sempre promoveu o uso da energia nuclear civil de uma "maneira responsável".

    Ele ressaltou que a China continuará "cumprindo rigorosamente seus compromissos internacionais de não proliferação" e conduzindo a cooperação com países estrangeiros "com base no respeito mútuo e em benefício mútuo".

    Na semana passada, o Departamento de Estado dos EUA expressou preocupação com a China, supostamente violando o padrão de "zero rendimento" durante seus testes nucleares subterrâneos em 2019.

    "Rendimento zero" refere-se a um teste nuclear sem uma reação em cadeia explosiva que seria semelhante à causada por uma ogiva nuclear. Pequim informou que essas alegações eram "totalmente infundadas" e reiterou que o país está cumprindo todas as suas obrigações sob o direito internacional.

    Mais:

    EUA querem discutir redução de armas nucleares com Rússia e China em breve
    China pode alcançar Rússia e EUA em número de ogivas nucleares, diz analista
    Índia apreende navio chinês que estaria transportando material nuclear para Paquistão
    Tags:
    Dan Brouillette, Tratado sobre a Não-Proliferação de Armas Nucleares (TNP), diplomacia, míssil nuclear, acordo nuclear, reator nuclear, bomba nuclear, risco nuclear, ogiva nuclear, usina nuclear, teste nuclear, arma nuclear, energia nuclear, Rússia, China, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar