23:59 13 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)
    4131
    Nos siga no

    Coronavírus pode ser "reativado" em pessoas que se recuperaram do novo coronavírus, informam os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul.

    Cerca de 51 pacientes categorizados como curados na Coreia do Sul receberam resultado positivo novamente para a COVID-19, afirmaram em um comunicado à imprensa na segunda-feira (6) os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) do país asiático.

    O vírus nesses pacientes poderia ter sido reativado ao invés de terem serem infectados novamente, visto que receberam resultados positivos pouco depois de serem liberados da quarentena, afirmou o diretor-geral dos CDC da Coreia do Sul, Jeong Eun-kyeong, relata Bloomberg.

    "Enquanto estamos dando mais importância à reativação como uma causa possível, estamos realizando um estudo abrangente neste sentido. Houve muitos casos em que um paciente tinha testado negativo durante o tratamento em um dia e positivo em outro", explicou o diretor-geral.

    Uma pessoa é considerada totalmente recuperada quando dois testes realizados em um intervalo de 24 horas dão negativos. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia do Sul irão realizar investigação epidemiológica nos casos referidos, revelou Jeong.

    De acordo com dados coletados pela Universidade Johns Hopkins, Coreia do Sul tem 10.450 casos de infecção confirmados, 7.117 considerados curados.

    Tema:
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)

    Mais:

    Soldado dos EUA na Coreia do Sul é diagnosticado com o novo coronavírus
    Coreia do Sul convoca embaixador do Japão em retaliação a restrições de viagens por novo coronavírus
    Casa Branca: EUA fizeram mais testes de coronavírus em 8 dias do que a Coreia do Sul em 8 semanas
    Tags:
    pandemia, infecção, doenças graves, COVID-19, Coreia do Sul, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar