04:08 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    11443
    Nos siga no

    Enquanto a China começa a retomar as operações regulares no mar do Sul da China em meio à queda de casos da COVID-19, os EUA seguem lutando contra a alta do vírus em solo norte-americano.

    O Exército de Libertação Popular da China realizou exercícios militares com embarcações, incluindo navios, submarinos e jatos de combate em regiões disputadas do mar do Sul da China, onde é frequente a presença de navios da Marinha dos EUA, segundo autoridades militares chinesas.

    Durante os exercícios, as patrulhas chinesas dispararam munição antiaérea, antinavio e antissubmarino. Além disso, também simularam reabastecimento no mar e frota de navegação.

    As águas do mar do Sul da China são disputadas por cinco países e Taiwan, entretanto são controladas principalmente por Pequim e, por isso, são frequentemente visitadas por embarcações norte-americanas, que alegam estar garantindo a liberdade de navegação.

    Contudo, atualmente, o mar do Sul da China está livre da Marinha norte-americana, já que os Estados Unidos estão lutando para conter a pandemia de coronavírus que atingiu inclusive seus militares.

    O USS Theodore Roosevelt, um dos navios que visitou a região chinesa mais recentemente, relatou mais de 170 casos de COVID-19, fazendo com que o capitão Brett Crozier enviasse cartas ao comando, solicitando urgentemente assistência no combate ao coronavírus.

    Outro navio norte-americano que estava em operação no Pacífico, o USS Ronald Reagan, relatou diversos casos de COVID-19 em sua tripulação, depois de ficar ancorado em uma doca japonesa em manutenção.

    Mais:

    Marinha dos EUA acusa China de atacar um de seus aviões com laser
    Como Marinha dos EUA planeja espionar China e Coreia do Norte?
    Marinha dos EUA é vulnerável a ciberataques da China devido a tecnologia obsoleta, diz funcionário
    Tags:
    navios, Mar do Sul da China, ilhas, China, Marinha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar