11:06 26 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)
    6260
    Nos siga no

    Em meio à relatos de competição acirrada entre países por equipamentos médicos chineses, Moscou e Pequim selaram acordo para fornecimento à Rússia de roupas protetoras e máscaras de uso médico para combater o coronavírus.

    Neste sábado (4), o vice-ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Aleksei Gruzdev, informou que Moscou e Pequim fizeram um acordo para fornecimento de equipamentos de proteção chineses à Rússia.

    "A Rússia chegou a um novo acordo com a China para o fornecimento de 1,05 milhão de roupas protetoras de modelo Tyvek e 80 milhões de máscaras para uso médico", disse Gruzdev.

    O acordo foi divulgado em meio a relatos da mídia de que países europeus e os EUA estão em competição acirrada pelo acesso a equipamentos de proteção individual produzidos na China.

    No dia 2 de abril, a China já havia enviado à Rússia um carregamento de 26 toneladas, constituído por termômetros, respiradores, roupas protetoras e outros equipamentos de proteção individual, em forma de ajuda humanitária, conforme informou o Ministério da Indústria e Comércio russo.

    Russas na beira do rio Amur olham para a cidade chinesa de Heihe, na outra margem do rio (foto de arquivo)
    © Sputnik / Yevgeny Odinokov
    Russas na beira do rio Amur olham para a cidade chinesa de Heihe, na outra margem do rio (foto de arquivo)

    Em fevereiro, a Rússia remeteu ajuda humanitária similar à China (dois milhões de máscaras médicas), quando o país asiático era considerado o epicentro da epidemia de COVID-19.

    Até a manhã deste domingo (5), a Rússia confirmou 4.731 casos de COVID-19 e 43 vítimas fatais. A maioria dos casos está concentrado na capital russa, Moscou. O governo anuncia ter realizado 639 mil testes para o novo coronavírus no país.

    China luta contra '2ª onda'

    Neste domingo (5), a China anunciou 30 novos casos de COVID-19 nas últimas 24 horas, 25 importados. No dia anterior, 19 novos casos haviam sido confirmados.

    Desde quarta-feira (1º), a Comissão Nacional de Saúde da China passou a informar o número de casos assintomáticos de COVID-19 no país. Nas últimas 24 horas, 47 casos assintomáticos foram registrados, 16 deles importados.

    De acordo com a Comissão, a China registrou mais de 81 mil casos do novo coronavírus e 3.329 vítimas fatais. 76.764 pacientes já foram curados.

    Mulher vende máscaras na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, em 3 de abril de 2020
    © AP Photo / Ng Han Guan
    Mulher vende máscaras na cidade de Wuhan, na província de Hubei, na China, em 3 de abril de 2020

    De acordo com a Universidade Johns Hopkins (EUA), a China é o 6º país com maior número de casos atualmente. A Rússia encontra-se na 22ª posição e o Brasil na 16ª.

    O número total de casos de COVID-19 no mundo ultrapassa 1 milhão e 200 mil. Mais de 64 mil pessoas faleceram em consequência do vírus. Os países com maior número de casos são os EUA, Espanha e Itália.

    Tema:
    Mundo lidando com COVID-19 no início de abril de 2020 (153)

    Mais:

    Trump diz que Rússia enviou suprimentos médicos de 'alta qualidade' aos EUA
    Hospital equipado em Bergamo com ajuda da Rússia receberá pacientes com COVID-19 em breve (VÍDEO)
    Rússia envia 8ª aeronave para ajudar Sérvia no combate ao novo coronavírus
    Tags:
    pandemia, COVID-19, cooperação humanitária, cooperação bilateral, China, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar