17:55 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    2123
    Nos siga no

    Um destróier da Força Marítima de Autodefesa do Japão, o JS Shimakaze, ficou danificado na segunda-feira (30) após colidir com um navio de pesca chinês no mar da China Oriental.

    O incidente ocorreu às 20h28, no horário local (8h28 no horário de Brasília), a aproximadamente 400 milhas náuticas a oeste da ilha de Yakushima, comunicou um porta-voz do Estado-Maior Conjunto na terça-feira (31), citado pelo portal Stars and Stripes.

    As autoridades japonesas recusaram divulgar detalhes sobre as causas do incidente, enquanto se aguarda uma investigação conjunta com sua Guarda Costeira.

    Um dos 13 marinheiros chineses a bordo do barco de pesca sofreu ligeiras escoriações, não tendo nenhum dos 260 membros da tripulação do Shimakaze ficado ferido, adiantou o porta-voz.

    Um destróier da Força Marítima de Autodefesa do Japão, o JS Shimakaze, ficou danificado na segunda-feira [30 de março] após colidir com um navio de pesca chinês no mar da China Oriental

    Alguns porta-vozes do governo do Japão costumam falar a repórteres sob condição de anonimato.

    A colisão deixou um rombo de cerca de 92 cm por 15 cm no costado a bombordo do Shimakaze, mas não impediu sua navegabilidade, disse o porta-voz. Os danos no navio de pesca são desconhecidos, mas não afetaram aparentemente sua operacionalidade.

    O JS Shimakaze está sediado na Base Naval de Sasebo na ilha de Kyushu, onde também estão baseados diversos navios de um grande contingente da Marinha dos EUA.

    Segundo o portal Stars and Stripes, a China tem assumido uma postura marítima mais ativa nos últimos anos, pretendendo assumir-se como uma potência econômica e militar global.

    Mais:

    Mais um destróier dos EUA entra no mar do Sul da China 'sob pretexto da liberdade de navegação'
    Marinha da Rússia monitora destróier dos EUA no mar Negro
    Marinha dos EUA poderá nunca receber seu novo destróier
    Tags:
    destróier, China, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar