04:32 14 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    490
    Nos siga no

    A China não registrou nesta sexta-feira novos casos locais do novo coronavírus pelo segundo dia consecutivo, mas seu progresso contra a doença foi confrontado por outro aumento de infecções importadas.

    A queda nos casos do país oferece um raio de esperança para o resto do mundo, à medida que outras nações entram em confinamento, em um esforço para imitar a tática da China contra a doença.

    O número de mortes na China também diminuiu drasticamente, com a Comissão Nacional de Saúde relatando apenas três novas mortes, o menor aumento diário desde que começou a publicar números em janeiro.

    Em um marco sombrio que mostra como a crise passou da Ásia para a Europa, o número de mortos na China, agora em 3.248, foi ultrapassado na quinta-feira pela Itália, onde mais de 3.400 pessoas já morreram.

    Houve quase 81.000 infecções na China, mas menos de 7.000 pessoas continuam doentes com a COVID-19.

    Teste de amostra de vírus (imagem referencial)
    © Sputnik / Vitaly Timkiv
    Teste de amostra de vírus (imagem referencial)

    Acredita-se que o vírus tenha surgido em um mercado de frutos do mar e animais exóticos na cidade de Wuhan, no centro da China, em dezembro de 2019.

    Cerca de 56 milhões de pessoas em Wuhan e na província de Hubei entraram em quarentena no final de janeiro, mas as autoridades estão diminuindo progressivamente as restrições de viagens à medida que os casos diminuem.

    Mas a China agora está preocupada com uma segunda onda de infecções vindas do exterior, levando várias regiões, incluindo Pequim, a forçar as chegadas internacionais a entrar em quarentena de 14 dias.

    A comissão de saúde informou mais 39 casos importados nesta sexta-feira, elevando o total para 228.

    Mais:

    Remédio japonês é 'claramente eficaz' contra coronavírus, diz China
    Polêmica de Eduardo Bolsonaro com China pode prejudicar relações com o Brasil?
    Venezuela recebe da China 4 mil kits para testes do novo coronavírus
    Tags:
    COVID-19, segurança, vírus, saúde, novo coronavírus, Itália, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar