22:53 29 Março 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    11515
    Nos siga no

    Destróier USS McCampbell dos EUA navegou próximo das ilhas Paracel, reclamadas pela China, alegando operação de liberdade de navegação e suscitando enérgica reação da China.

    As ilhas Paracel são um grupo de pequenas ilhas e recifes desabitados no mar do Sul da China, desde 1974 ocupadas militarmente pela China e reivindicadas igualmente por Vietnã e Taiwan.

    Segundo informa o portal norte-americano Stars and Stripes, o USS McCampbell atravessou estas águas em disputa, alegando uma operação de manutenção de liberdade de navegação, pretexto a que recorre na zona pela segunda vez neste ano.

    Para o porta-voz do Comando Sul do Exército chinês, coronel Li Huamin, citado pelo portal msn.com, tratou-se de uma provocação musculada "sob pretexto da liberdade de navegação [...] que viola o direito internacional e [...] ameaça à paz e estabilidade do mar do Sul da China".

    O Exército chinês contatou de imediato o navio e ordenou que deixasse as águas territoriais das ilhas.

    Segundo referiu ao Stars and Stripes a porta-voz da 7ª Frota dos EUA, comandante Reann Mommsen, o direito marítimo internacional isenta de permissão a passagem inofensiva de navios dentro do limite territorial de 12 milhas.

    O mar territorial e seus conceitos correlatos – zona contígua, zona econômica exclusiva e plataforma continental – são regulados pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar de 1982.

    "As reivindicações marítimas ilegais e abusivas no mar do Sul da China representam uma ameaça sem precedentes à liberdade dos mares, incluindo as liberdades de navegação e sobrevoo e o direito de passagem inofensiva de todos os navios", alegou Mommsen.

    Já em janeiro, o navio de combate litorâneo USS Montgomery navegou perto das ilhas Spratly, outro arquipélago desabitado no mar do Sul da China, com mais de 750 ilhas, ilhéus, atóis e recifes e disputado por todos os países situados nas suas imediações.

    O Montgomery, à época, navegou bem perto de ilhas onde a China tem instalações militares.

    Em 1974, as forças chinesas expulsaram o Vietnã das ilhas Spratly e, desde então, têm aumentado sua presença militar no arquipélago.

    Disputadas também por Brunei, Malásia, Filipinas, Taiwan e Vietnã, os EUA não reconhecem nenhuma soberania sobre as ilhas Spratly.

    Mais:

    Destróier japonês é enviado em missão naval ao Oriente Médio, reporta mídia (FOTOS, VÍDEO)
    Marinha da China recebe 1º destróier da classe 055 equipado com novos sistemas de defesa (FOTOS)
    Marinha da Rússia monitora destróier dos EUA no mar Negro
    Tags:
    Mar do Sul da China, Vietnã, China, EUA, destróier
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar