23:15 05 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 182
    Nos siga no

    Pequim está preparando a criação de tropas de apoio à biossegurança, depois que a COVID-19 se alastrou no país com dezenas de milhares de casos.

    A China planeja criar tropas de segurança biológica no Exército, depois que a epidemia do novo coronavírus revelou deficiências no sistema da China de alerta precoce e luta contra ameaças biológicas, disse o porta-voz do Ministério da Defesa chinês, Wu Tsian.

    "A China vai em breve elaborar uma lei especial de biossegurança e implementar um sistema de apoio à segurança nacional", disse ele, de acordo com o diário chinês Global Times.

    Os especialista chinês Wang Peng também reconhece que a China não estava totalmente preparada para combater um desafio tão grande como a atual epidemia que, segundo várias avaliações, pode causar danos econômicos e sociais comparáveis a uma guerra regional.

    O especialista chinês Li Tsiunsiun assume que garantir a biossegurança também requer instrumentos legislativos, uma estratégia militar e, sobretudo, o bom funcionamento do sistema de saúde público.

    "Por exemplo, tenho prestado atenção à forma como a Rússia reagiu à epidemia. Em 31 de janeiro, o Ministério da Saúde Pública publicou as medidas de combate ao coronavírus, fazendo-o, por um lado, muito rapidamente e, por outro, de forma muito precisa e abrangente."

    As medidas não foram implementadas pelos militares, mas por agências do sistema de saúde pública. Desde quinta-feira (5), o número de pessoas infectadas tem diminuído drasticamente. Portanto, é possível dizer que o sistema é eficaz.

    Mais:

    'Ataque biológico': EUA teriam usado coronavírus para atingir China e Irã, segundo militar iraniano
    Quais os cuidados e o que devemos saber com a chegada do coronavírus ao Brasil?
    Cientistas de 9 países condenam rumores de coronavírus como arma biológica
    Tags:
    Ministério da Saúde, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar