11:35 31 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3127
    Nos siga no

    A Índia capturou na terça-feira (3) um navio chinês, afirmando que a embarcação transportava material capaz de ser usado para fabricar mísseis com capacidade nuclear, mas a China nega a acusação.

    Segundo o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores indiano, Raveesh Kumar, o navio foi detido pela alfândega no porto de Kandla, em Gujarat, a caminho do Porto Qasim, em Carachi, Paquistão.

    "Nossa inspeção revelou que o item é uma autoclave que faz parte de uma lista de controles de exportação de [equipamentos] de uso duplo. Como tal, o item foi apreendido pelas nossas autoridades, conforme os nossos procedimentos legais. Também foi verificado pela nossa inspeção que este item tem aplicações militares", disse o porta-voz do ministério, Raveesh Kumar, na quinta-feira (5) em Nova Deli.

    As autoridades indianas detiveram o navio chinês quando ele estava atracado em Kandla, pois havia declarado incorretamente o item que transportava.

    O ministério transmitiu as preocupações de Nova Deli sobre o assunto à China e destacou que, como país amigo, "o governo chinês deve tomar as medidas adequadas para garantir que as entidades chinesas não se envolvam em atividades que possam contribuir para a proliferação [nuclear]".

    O navio mercante com destino ao Paquistão, proveniente da China, foi detido pela Índia, mas a autoclave transportada no navio, que a Índia alegou ser material para mísseis balísticos, não é material militar nem item de dupla utilização sob controle de não-proliferação e de exportação.

    Pequim negou a alegação de que a autoclave industrial apreendida no navio chinês Da Cui Yun era destinada à fabricação de "mísseis balísticos de muito longo alcance, ou foguetes para lançamento de satélite".

    "Depois de procurar a informação, sabemos que este item é, na verdade, um sistema de escudo de forno de tratamento térmico, produzido por uma empresa privada na China. Isto não é para uso militar e não é um item de dupla utilização sob o controle de não-proliferação e exportação", disse Zhao Lijian, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês em Pequim.

    Na terça-feira (3), especialistas da Organização de Pesquisa e Desenvolvimento de Defesa da Índia (DRDO, na sigla em inglês) confirmaram que Nova Deli tinha apreendido um navio chinês com conexão ao Paquistão atracado em Kandla, na costa ocidental, com base em informações de inteligência.

    A autoclave apreendida pode ser usada para fabricar motores de mísseis de longo alcance (alcance superior a 1.500 quilômetros), bem como foguetes espaciais.

    Mais:

    Alerta chinês aos EUA teria mensagem oculta para Índia, diz analista
    China pode alcançar Rússia e EUA em número de ogivas nucleares, diz analista
    Marinha da Índia fortalece frota com navio 'invisível' no oceano Índico
    Tags:
    Raveesh Kumar, Karachi, Gujarat, Ministério das Relações Exteriores da China, Paquistão, Organização de Pesquisa e Desenvolvimento da Defesa da Índia (DDRO), Índia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar