01:58 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3111
    Nos siga no

    Dois tipos distintos do novo coronavírus - um mais agressivo que o outro - poderiam estar infectando pessoas durante o surto da doença, revelaram cientistas chineses em novo estudo.

    Pesquisadores da Universidade de Pequim e da Academia Chinesa de Ciências identificaram uma segunda cepa do novo coronavírus e dizem que essa mutação, identificada como tipo L, é mais agressiva e está associada a 70% dos casos analisados, enquanto o tipo S é menos virulento e teria causado os 30% restantes, relata a Reuters.

    Na sequência destas descobertas, os cientistas apoiaram a "necessidade urgente" de uma investigação "imediata e abrangente" sobre a doença COVID-19, embora tenham advertido que as suas conclusões são resultado da análise de uma gama limitada de casos.

    "Essas descobertas apoiam fortemente uma necessidade urgente de mais estudos imediatos e abrangentes que combinem dados genômicos, dados epidemiológicos e registros de tabelas dos sintomas clínicos de pacientes com a doença do coronavírus [COVID-19]", estabelece um estudo publicado na National Science Review, a revista da Academia Chinesa de Ciências.

    Além disso, os pesquisadores observaram que a cepa L era mais frequente nos estágios iniciais do surto ocorrido em Wuhan, na província chinesa de Hubei, enquanto sua frequência "diminuiu após o início de janeiro".

    Crianças usando máscaras para se proteger do coronavírus em uma escola da Indonésia
    © AP Photo / Ahn Young-joon
    Crianças usando máscaras para se proteger do coronavírus em uma escola da Indonésia

    Os especialistas acreditam que esse declínio pode ter sido devido à intervenção humana, quando as pessoas infectadas foram hospitalizadas e as áreas onde o coronavírus estava se espalhando rapidamente foram bloqueadas.

    Segundo os últimos dados, o número total de pessoas infectadas por coronavírus no mundo inteiro até o momento é de mais de 95.415, com 3.285 mortes registradas. China, Coreia do Sul, Itália e Irã são os países mais afetados.

    Mais:

    Coronavírus diminui previsão de crescimento econômico em 2020, diz FMI
    Surto da COVID-19 já se caracteriza como uma pandemia, diz especialista
    Especialistas revelam quem tem menos chances de pegar coronavírus
    Tags:
    Wuhan, China, doenças, COVID-19, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar