22:51 29 Março 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3150
    Nos siga no

    Segundo uma empresa malaia, há duas possíveis localizações da queda do voo mortal de 2014, ambas na região do oceano Índico.

    Um Boeing 777 da Malaysia Airlines, que estava voando rumo a Pequim, desapareceu das telas de radar em 8 de março de 2014. As várias operações de busca foram infrutíferas. Envolvimento da tripulação, sequestro e ataques terroristas foram citados entre as possíveis causas do desaparecimento.

    Especialistas em mapeamento nomearam possíveis locais de destroços para o malfadado voo MH370, informou o Daily Star. A startup malaia Gunung Mengalir Resources afirmou que o uso de tecnologia revolucionária na cartografia ajudou a encontrar o que as empresas esperam que seja uma importante pista na busca do avião desaparecido.

    De acordo com o porta-voz da empresa, ela "conseguiu obter o importante avanço sobre a interpretação precisa da matemática de modelagem para um satélite geoestacionário de compensação de tempo de ruptura (BTO) de sinais para o MH370. Usamos uma grande análise de dados para extrair de volta todo o registo de comunicação do MH370".

    Fragata australiana HMAS Toowoomba em busca do voo MH370 no oceano Índico (foto de arquivo)
    © AFP 2020 / ABIS JULIANNE CROPLEY
    Fragata australiana HMAS Toowoomba em busca do voo MH370 no oceano Índico (foto de arquivo)

    A empresa disse que havia apenas duas localizações possíveis do avião, no mar de Andamão ou perto da Ilha da Reunião, no oceano Índico. O porta-voz da empresa acrescentou que ambas as localizações têm a mesma chance de ser a verdadeira localização.

    O investigador amador Jackie Wilson, que afirmou ter avistado os destroços do avião nas selvas do Camboja através do Google Maps, prometeu que ele e seu irmão iriam tentar visitar a área novamente este ano.

    A busca do Boeing 777, que desapareceu sobre o mar do Sul da China em 2014, foi suspensa em 2017. A busca se tornou a mais cara da história da aviação. Uma segunda busca lançada em 2018 pela empreiteira privada Ocean Infinity também terminou sem sucesso. Vários fragmentos dos destroços pertencentes ao avião foram levados à costa no oceano Índico em 2015 e 2016. Presume-se que todos os 237 passageiros e 12 membros da tripulação tenham perdido suas vidas.

    Mais:

    MH370: 'Sequestrador pode ter sobrevivido e enganado todo mundo', diz especialista
    Como sequestrador conhecia fraqueza do avião MH370
    Piloto do voo MH370 teria entorpecido passageiros com chá e voado para Filipinas
    Tags:
    Camboja, Pequim, Oceano Índico, Daily Star, Mar do Sul da China, Reunião, Mar de Andamão, Malaysia Airlines, Boeing 777, MH370
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar