02:02 27 Fevereiro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    21233
    Nos siga no

    Em visita ao Cazaquistão, secretário de Estado americano, Mike Pompeo, pediu para o governo local não negar ajuda aos uigures chineses em seu território, após acusar China de perseguir a minoria étnica.

    "Os EUA incitam todos os países a se juntarem a nós para pressionar [a China] para [pôr] um fim imediato a tal repressão. Pedimos que [os países] concedam refúgio seguro e asilo para os que procuram fugir da China", afirmou Pompeo em declaração feita no Cazaquistão.

    Durante a visita à capital cazaque, Nursultan, Pompeo disse ter tratado a situação das minorias étnicas muçulmanas na China com o chanceler do país, Mukhtar Tleuberdi, conforme publicou a agência Reuters.

    Os EUA acusam a China, um dos maiores parceiros comerciais do Cazaquistão, de reprimir as minorias étnicas muçulmanas no oeste do país, como os cazaques e chineses uigures. O tema é uma questão sensível na Ásia Central.

    Investimentos 'perigosos'

    Também durante a visita, Pompeo alertou o país para ser cauteloso com os investimentos e influência da China, noticiou o portal Military.com.

    "Apoiamos inteiramente a liberdade do Cazaquistão de fazer negócios com qualquer país que quiser, mas estou seguro de que os países logram os melhores resultados quando fazem parcerias com empresas americanas", afirmou.

    Ainda segundo o portal, o secretário de Estado americano disse que os investimentos chineses implicam um custo para a soberania e podem ferir o desenvolvimento do país a longo prazo.

    Mais:

    Cazaquistão publica conclusão preliminar da queda de avião da Bek Air
    Pompeo compara Venezuela com URSS e diz que a hora de Maduro 'está chegando'
    Defesa russa classifica como hipócrita 'preocupação' de Pompeo com 'população civil' síria
    Tags:
    uigures, muçulmanos, repressão, Mike Pompeo, Cazaquistão, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar