04:42 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    324
    Nos siga no

    O presidente dos EUA, Donald Trump, voltou a apresentar a ideia de que Washington poderia arbitrar as negociações entre Índia e Paquistão para resolver a disputa sobre a Caxemira, mas o primeiro-ministro do Paquistão, Imran Khan, não parece ter concordado.

    Trump reiterou a oferta em uma reunião com Khan à margem do Fórum Econômico Mundial (FEM) em Davos, na Suíça, nesta terça-feira, chamando o primeiro-ministro de "amigo" e fazendo mais uma tentativa de inserir os EUA no tema da Caxemira.

    "Estamos falando da Caxemira [...] se pudermos ajudar, certamente estaremos ajudando. Temos acompanhado e seguido muito, muito de perto", declarou Trump.

    Embora Khan tenha sido aberto à ideia de mediação anteriormente, ele não respondeu à última abertura de Trump, contornando a questão da Caxemira inteiramente durante um breve encontro com a imprensa.

    Em vez disso, ele se concentrou no Afeganistão, que chamou de "questão principal", observando que Islamabad e Washington estão na "mesma página". O primeiro-ministro já havia sido menos caridoso com a posição dos EUA no Afeganistão, no entanto, dizendo no outono passado que o Paquistão tem sido regularmente responsabilizado pelas falhas de Washington lá.

    Apesar da oferta de Trump de ser um árbitro neutro entre os vizinhos com armas nucleares, ele sugeriu que não fosse ao Paquistão para uma visita de Estado em sua próxima viagem à Índia em fevereiro, dizendo a repórteres: "Bem, estamos visitando agora, então realmente não precisa".

    Muçulmanos orando na Caxemira, região disputada entre a Índia e o Paquistão
    © AP Photo / Mukhtar Khan
    Muçulmanos orando na Caxemira, região disputada entre a Índia e o Paquistão

    Trump tentou entrar na disputa contenciosa sobre a Caxemira antes, às vezes com resultados embaraçosos. Durante uma coletiva de imprensa em julho passado, Trump afirmou que o primeiro-ministro indiano Narendra Modi havia solicitado pessoalmente que ele mediasse as negociações com o Paquistão, mas ele foi rapidamente rejeitado pelo Ministério de Assuntos Externos da Índia, que negou categoricamente que tal pedido havia sido feito.

    O conflito sobre a Caxemira remonta décadas, com a Índia e o Paquistão travando duas de suas três guerras pelo território. As tensões voltaram à tona novamente no ano passado, após a revogação do status de autonomia da Caxemira pela Índia, que Nova Déli disse ser necessária para combater o terrorismo e a corrupção, além de facilitar o desenvolvimento na região.

    Islamabad - que também controla uma parte da Caxemira - alega que as políticas da Índia foram "opressivas" e "discriminatórias", visando seu único estado de maioria muçulmana.

    Mais:

    Paquistão confia na mediação da Rússia para conflito na Caxemira
    Explosão na Caxemira deixa mais de 10 feridos
    Quem apoiar Índia em Caxemira será alvo de mísseis paquistaneses, ameaça ministro do Paquistão
    Tags:
    soberania, armas nucleares, Afeganistão, Fórum Econômico Mundial, diplomacia, Narendra Modi, Imran Khan, Donald Trump, Jammu e Caxemira, Caxemira, Davos, Índia, Paquistão, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar