15:01 22 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    7516
    Nos siga no

    O secretário de Defesa dos EUA, Mark Esper, disse nesta quinta-feira que os EUA ainda veem um acordo político sobre desnuclearização como o melhor caminho a seguir na Coreia do Norte, mas que as forças americanas continuam preparadas para lutar, se necessário.

    "Pedimos cautela para [líder norte-coreano] Kim Jong-un", revelou Esper em entrevista à Fox News.

    Kim afirmou nesta semana que não havia mais motivos para Pyongyang ficar presa a uma moratória autodeclarada de mísseis balísticos intercontinentais e testes de bombas nucleares e que uma "nova arma estratégica" seria introduzida em um futuro próximo.

    Uma autoridade dos EUA, falando sob condição de anonimato, declarou que não havia indicações de que a Coreia do Norte estivesse se preparando para um iminente teste de mísseis de longo alcance.

    A mesma fonte explicou que a avaliação após o discurso de Kim foi que a Coreia do Norte acredita que não precisa se apressar para testar um míssil balístico intercontinental, embora testes de mísseis ou motores de curto alcance possam ser possíveis a qualquer momento.

    Lançamento do míssil balístico intercontinental norte-coreano Hwasong-15
    © AP Photo / KCNA
    Lançamento do míssil balístico intercontinental norte-coreano Hwasong-15

    O presidente dos EUA, Donald Trump - que em 2018 se tornou o primeiro líder americano a se encontrar com um líder norte-coreano - declarou após as observações de Kim que o líder norte-coreano havia assinado um contrato de desnuclearização e Trump achou que Kim era um "homem de sua palavra".

    No mês passado, Pyongyang alertou Washington sobre um possível "presente de Natal" depois que Kim deu aos Estados Unidos até o final do ano para propor novas concessões nas negociações sobre o arsenal nuclear de seu país.

    Falando com repórteres nestaa quinta-feira, o presidente do Estado Maior Conjunto, Mark Milley, disse que o status de alerta das forças americanas estava em um nível suficiente para responder a qualquer coisa que acontecesse e que as capacidades de defesa militar eram adequadas para defender os Estados Unidos.

    Mais:

    China cobra que os EUA tomem 'medidas imediatas' por acordo com a Coreia do Norte
    Kim Jong-un quer 'medidas ativas e ofensivas' para garantir soberania da Coreia do Norte
    Casa Branca promete reagir caso Coreia do Norte teste mísseis de longo alcance
    Tags:
    negociações, diplomacia, míssil balístico intercontinental, ICBM, Hwasong-15, armas nucleares, desnuclearização, Kim Jong-un, Donald Trump, Estados Unidos, Coreia do Norte
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar