09:30 26 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    446
    Nos siga no

    O Japão pretende enviar um destróier e dois aviões de patrulhamento P-3C para proteger seus navios mercantes no Oriente Médio, de onde vêm quase 90% de suas importações de petróleo.

    A embarcação e as aeronaves coletarão informações e, em caso de emergência, o ministro da Defesa japonesa emitirá uma ordem especial permitindo a utilização de armas para proteger seus navios em perigo, segundo a Reuters.

    A operação deve abranger o golfo de Omã, o norte do mar Arábico e golfo de Aden.

    "A paz e a estabilidade no Oriente Médio são extremamente importantes para a paz e prosperidade da comunidade internacional, incluindo o Japão [...] Além disso, é muito importante garantir que as embarcações relacionadas ao Japão possam navegar seguramente no Oriente Médio, principal fonte de energia do mundo", afirmou o secretário-geral do Gabinete, Yoshihide Suga.

    Após a retirada dos EUA do acordo nuclear internacional de 2015, as tensões entre os norte-americanos e iranianos aumentaram, além disso, o presidente dos EUA, Donald Trump impôs sanções contra o Irã, criando um cenário de tensão na região.

    O JS Hyuga é o primeiro destróier porta-helicópteros de sua classe da Força Marítima de Autodefesa do Japão. Foi construído em 2006 e entrou em serviço em 2009. O navio recebeu o nome da antiga província japonesa de Hyuga. É o maior navio construído para a Marinha japonesa desde a Segunda Guerra Mundial. A classe Hyuga são sobretudo navios de guerra antissubmarina que transportam helicópteros antissubmarino SH-60K
    © Foto / Wivern
    O JS Hyuga é o primeiro destróier porta-helicópteros de sua classe da Força Marítima de Autodefesa do Japão.

    Entre maio e junho, ocorreram diversos ataques a navios mercantes internacionais na região, inclusive contra o navio-tanque do Japão Kokuka Courageous.

    O presidente da Associação de Petróleo do Japão, Takashi Tsukioka, acredita que a situação no Oriente Médio continue imprevisível e que a decisão do governo japonês pode ser benéfica para a segurança das embarcações.

    O Japão pretende realizar as operações com aviões de patrulhamento em janeiro, enquanto as operações do destróier devem ser iniciadas em fevereiro, segundo o Ministério da Defesa.

    Mais:

    Japão quer produzir caças F-35, frente às dificuldades com fabricação nos EUA
    De olho em Rússia e China, EUA buscam aliança com o Japão no setor de energia nuclear
    Após trocas de farpas, Japão acena com relações saudáveis se Coreia do Sul 'cumprir promessas'
    Tags:
    aviões de guerra, aviões, destróier, navios de guerra, navios, oriente médio, Japão
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar