09:08 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    3132
    Nos siga no

    O presidente chinês, Xi Jinping, enfatizou em conversa telefônica com o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, que a China não é uma ameaça, mas, sim, uma oportunidade para UE.

    "China considera suas relações com a UE de uma perspectiva estratégica e a longo prazo", afirmou o líder chinês em comunicado do Ministério das Relações Exteriores da nação asiática.

    Segundo o comunicado, Pequim e Bruxelas "são sócios que se beneficiam mutuamente, e não concorrentes de soma zero", e o desenvolvimento chinês representa "uma oportunidade" para o bloco europeu e não "um desafio".

    O líder chinês também destacou que tanto a China como a UE defendem o multilateralismo e o livre comércio, razão pela qual seu governo apoia uma reforma da Organização Mundial do Comércio.

    Contudo, Pequim ressaltou que está disposta a trabalhar em conjunto com Bruxelas para garantir o cumprimento do acordo climático de Paris.

    Presidente da China, Xi Jinping, durante 11ª Cúpula de Chefes de Estado do BRICS, em Brasília, em 14 de novembro de 2019
    © REUTERS / Pavel Golovkin
    Presidente da China, Xi Jinping, durante 11ª Cúpula de Chefes de Estado do BRICS, em Brasília, em 14 de novembro de 2019
    Charles Michel, por sua vez, manifestou que o fortalecimento da cooperação entre o bloco e o gigante asiático é de interesse de ambas as partes, destacando que, no próximo ano, Pequim e Bruxelas celebrarão uma "série de importantes intercâmbios de alto nível e prioridades de cooperação".

    Anteriormente, a Comissão Europeia qualificou a China como uma "competidora econômica" e "rival sistemática que promove modelos alternativos de governo", elevando a necessidade de criar uma relação econômica e comercial "mais equilibrada" com os chineses.

    Mais:

    China estaria desenvolvendo diversos projetos de mísseis hipersônicos
    É melhor esperar eleição de 2020 para fazer acordo com a China, diz Trump
    China proíbe entrada de navios militares e veta ONGs dos EUA por 'interferência' em Hong Kong
    Tags:
    acordos, economia, estratégia, cooperação, União Europeia, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar