17:52 09 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Forças de ordem contêm manifestantes em Hong Kong

    Hong Kong: polícia enfrenta mais um fim de semana de manifestações

    © REUTERS / Tyrone Siu
    Ásia e Oceania
    URL curta
    975
    Nos siga no

    O confronto entre policiais e manifestantes nas ruas de Hong Kong continua. Polícia da cidade dispersou a multidão com gás lacrimogêneo.

    As forças de segurança declararam que a manifestação, inicialmente autorizada pelas autoridades, desencadeou em numerosos atos de violência e vandalismo em várias áreas da cidade.

    "A partir da noite, os manifestantes bloquearam as estradas e causaram sérios danos na área de Whampoa, [...] a polícia não teve escolha a não ser usar a força mínima necessária, incluindo gás lacrimogêneo, para a operação de dispersão", declarou a polícia.

    Manifestantes atacaram um transeunte, "colocando em risco a ordem pública e a segurança", alegou a polícia, que reclamou da ação dos ativistas.

    Os manifestantes destruíram várias lojas e lanchonetes e andaram pelas ruas com bandeiras dos EUA. O jornal South China Morning Post também informou que a polícia realizou uma série de prisões.

    Hong Kong foi tomada pelos manifestantes desde meados deste ano. A população portestou contra um projeto de lei que permitia a extradição de fugitivos da justiça para Taiwan, Macau e China continental.

    O governo de Hong Kong concordou em retirar o polêmico projeto de pauta no início de setembro, mas rejeitou outras demandas, incluindo a anistia de ativistas detidos. Em função disso, os protestos continuaram.

    Pelo menos 2.600 pessoas ficaram feridas durante seis meses de protestos, incluindo 470 policiais, segundo o secretário de segurança de Hong Kong, John Lee. Das 5.800 pessoas presas desde junho, 932 foram acusadas de atos de vandalismo, agressão a agentes de segurança e outros crimes.

    Tags:
    protestos, Hong Kong, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar