01:42 10 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Boeing 737 MAX 8

    Boeing 737 Max teria provocado grande prejuízo para linha aérea da Índia

    © AP Photo / Ted S. Warren
    Ásia e Oceania
    URL curta
    450
    Nos siga no

    A companhia aérea indiana Spicejet culpa Boeing 737 Max que estão impossibilitados de realizarem voos, gerando custos e perdas nos lucros.

    A Spicejet afirmou que sofreu uma perda de US$ 66 milhões (R$ 275 milhões) no segundo trimestre do ano, que teria sido causada pela paralisação dos voos realizados com aviões Boeing 737 Max.

    Agora, a companhia aérea indiana pretende abrir um processo para obter o reembolso dessas perdas contra a fabricante.

    Funcionário da Boeing observa modelo 737 MAX estacionado em fábrida da empresa em Seattle
    © AP Photo / Ted S. Warren
    Funcionário da Boeing observa modelo 737 MAX estacionado em fábrida da empresa em Seattle

    O presidente e diretor-administrativo da Spicejet, Ajay Singh, afirmou que "a paralisação dos 737 MAX afetou os planos de crescimento da companhia e resultou em operações ineficientes, resultando no prejuízo", ressaltando que a companhia está ansiosa pelo retorno dos 25 aviões da Boeing, em 2020.

    "O retorno do 737 MAX proporcionará um impulso considerável em nossas operações e estamos confiantes que, com o rigoroso escrutínio, ele será uma das aeronaves mais seguras", observou.

    O retorno das operações está previsto para acontecer a partir de janeiro de 2020. O Boeing 737 MAX foi suspenso em março de 2019, depois de dois acidentes que causaram a morte de 346 pessoas, além de apresentar diversos outros problemas técnicos.

    Mais:

    'Sabemos que cometemos erros', diz CEO da Boeing em depoimento sobre 737 MAX
    Mensagens internas da Boeing sugerem que técnicos sabiam sobre problemas do 737 MAX
    Força Aérea dos EUA retém financiamento da Boeing para desenvolvimento de mísseis balísticos
    Tags:
    Índia, prejuízo, incidente aéreo, acidente aéreo, acidente aéreo, acidente, Boeing 737, Boeing
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar