09:20 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5101
    Nos siga no

    Após declarações feitas pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, durante o 30º aniversário da queda do Muro de Berlim, Pequim acusa-o de ter "mentalidade de Guerra Fria anacrônica".

    A declaração é uma resposta ao discurso de Pompeo na ocasião do 30º aniversário da queda do Muro de Berlim, quando o secretário de Estado afirmou que o Partido Comunista chinês "usa táticas e métodos para suprimir seu próprio povo que seriam horrivelmente familiares aos antigos habitantes da Alemanha de Leste".

    Pompeo acrescentou que Washington teria deixado claro que Pequim deveria "honrar o seu compromisso" de manter o princípio de "um país, dois sistemas", que confere um status diferenciado a Hong Kong.

    Secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, durante comemorações da queda do muro de Berlim, em 7 de novembro de 2019
    © REUTERS / John Macdougall
    Secretario de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, durante comemorações da queda do muro de Berlim, em 7 de novembro de 2019

    Pequim rejeitou os "ataques infundados e maliciosos" de Pompeo contra o governo chinês.

    De acordo com o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, algumas personalidades nos EUA "tentam construir um muro ideológico entre as empresas chinesas e estrangeiras".

    Durante um briefing de rotina à imprensa, Geng acusou Pompeo de ignorar os interesses do povo norte-americano e perseguir objetivos políticos, incitando o secretário de Estado a "abandonar seu posicionamento ideológico enviesado e mentalidade anacrônica da Guerra Fria".

    Mike Pompeo visitou Berlim para participar das comemorações do 30º aniversário da queda do Muro de Berlim. Na sexta-feira (9), o secretário de Estado disse que os EUA e seus aliados deveriam 'defender o que conquistamos a duras penas [...] em 1989" e "reconhecer que estamos em uma competição de valores com nações não-livres".

    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, em um briefing de rotina à imprensa.
    © AP Photo / Andy Wong
    Porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Geng Shuang, em um briefing de rotina à imprensa

    O discurso proferido em Berlim segue uma tendência de endurecimento da retórica contra a China por parte do secretário de Estado dos EUA.

    Em outubro, Pompeo havia classificado Pequim de ser "verdadeiramente hostil" aos Estados Unidos e defendeu o aumento da pressão sobre o país asiático em diversas frentes.

    Mais:

    'Morte cerebral' da OTAN gera avalanche de perguntas a Mike Pompeo
    Comércio exterior da China cresce 2,4% em 10 meses
    Para embaixador da China, BRICS vive 'era de ouro' em meio a mundo volátil
    Tags:
    Berlim, Guerra Fria, Mike Pompeo, EUA, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar