15:43 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Lançamento de mísseis balísticos pela Coreia do Norte (foto de arquivo)

    Ministério da Defesa do Japão avalia novos mísseis norte-coreanos

    © REUTERS / KCNA
    Ásia e Oceania
    URL curta
    341
    Nos siga no

    Os mísseis que foram lançados pela Coreia do Norte no dia 31 de outubro pertencem à mesma nova modificação que já tinha sido testada antes pelo país, afirma o ministro da Defesa do Japão.

    O ministro japonês da Defesa, Taro Kono, disse aos jornalistas que os mísseis que foram lançados pela Coreia do Norte no dia 31 de outubro já haviam sido testados em 24 de agosto e 10 de setembro.

    "Foram realizados dois lançamentos com um intervalo de três minutos. Acreditamos que são do mesmo tipo", disse o ministro, citado pela agência de notícias Kyodo.

    Entretanto, os militares japoneses estão mais inclinados a pensar que em 31 de outubro foram lançados mísseis balísticos, enquanto em 24 de agosto e de 10 de setembro teriam sido mísseis de curto alcance de combustível sólido. A própria Coreia do Norte declarou que tinha realizado os testes do "maior lançador múltiplo de foguetes".

    Lançamento de 31 de outubro

    Na quinta-feira (31), a Coreia do Norte lançou dois mísseis a partir da província de Pyongan Sul. Os projéteis voaram de 350 a 400 quilômetros, a uma altitude de 100 quilômetros. Os militares da Coreia do Norte afirmam que os mísseis percorreram 370 quilômetros e que a altitude de voo foi de 90 quilômetros. Segundo o Ministério da Defesa do Japão, os mísseis caíram fora da Zona Econômica Exclusiva japonesa.

    Desde maio deste ano, a Coreia do Norte já realizou 12 lançamentos de mísseis balísticos e foguetes.

    Mais:

    Israel está em alerta por 'ameaça' de ataque de mísseis do Irã
    EUA sancionam setor de construção iraniano ligado a programa de mísseis 
    Coreia do Norte poderia ter criado lançador de mísseis 'sem igual' no mundo, diz especialista
    Tags:
    Japão, Coreia do Norte, lançamento de foguetes, lançamentos, mísseis balísticos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar