22:52 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Chefe da administração de Hong Kong, Carrie Lam, no desfile militar marcando o 70º aniversário da fundação da República Popular da China, em Pequim

    Protestos da oposição suspendem sessão do legislativo de Hong Kong

    © AP Photo / Ng Han Guan
    Ásia e Oceania
    URL curta
    421
    Nos siga no

    A chefe do executivo de Hong Kong, Carrie Lam, foi forçada a deixar outra vez a câmara legislativa nesta quinta-feira por conta de intensos protestos da oposição contra o seu governo.

    Indignados com um recente ataque a um líder das manifestações contra as autoridades locais e de Pequim que já duram quase 5 meses, um grupo de parlamentares começou a gritar e a exibir cartazes representando Lam com as mãos sujas de sangue, levando à sua remoção por guardas e à suspensão dos trabalhos no parlamento, informou a agência AP.

    Na última quarta-feira, Lam já havia sido forçada a abandonar um discurso político anual no Parlamento de Hong Kong, depois divulgando-o pela televisão. 

    ​As confusões no legislativo e um ataque realizado por agressores com martelos e facas a Jimmy Sham, na noite de ontem, voltam a aumentar as tensões na cidade já profundamente abalada por distúrbios desde junho, motivados por um polêmico projeto de lei de extradição.

    Embora a proposta que deu início às manifestações no território chinês já tenha sido derrubada, no momento, deputados do parlamento recentemente restituído pressionam o executivo para atender a outras demandas colocadas em pauta pelos manifestantes nos últimos meses, incluindo sufrágio universal e uma investigação independente de supostos casos de uso excessivo da força por parte da polícia.

    Mais:

    Manifestantes barram saída de estádio da chefe-executiva de Hong Kong
    Parlamento de Hong Kong é evacuado com urgência após nova onda de protestos
    Polícia de Hong Kong critica manifestantes: 'Tomaram a lei em suas próprias mãos'
    Polícia de Hong Kong diz que manifestantes feriram policial com objeto perfurante
    Tags:
    Associated Press, extradição, manifestações, parlamento, protestos, Pequim, Hong Kong, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar