10:36 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    A nuvem de cogumelo do Ivy Mike (codinome dado ao teste) se eleva acima do Oceano Pacífico sobre o Atol Enewetak nas Ilhas Marshall em 1 de novembro de 1952

    Sobrevivente da limpeza atômica: cúpula de testes nucleares dos EUA esconde segredo (FOTOS)

    © AP Photo / Laboratório Nacional de Los Alamos
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5410
    Nos siga no

    A cúpula de concreto do atol Enewetak na ilha de Runit, no oceano Pacífico, que contém milhares de toneladas de resíduos radioativos de 43 testes nucleares norte-americanos, realizados entre 1946 e 1958, esconde uma mensagem secreta.

    Um dos sobreviventes da limpeza atômica dessa área, Paul Griego, revelou que sob a cúpula há um aviso para as futuras gerações de arqueólogos que poderão descobri-lo.

    De acordo com Griego, de 62 anos, que agora tem problemas de saúde associados à radiação, os trabalhadores deixaram dentro da cúpula contaminada uma luva de borracha cheia de concreto fazendo uma "saudação", um "aviso" selado e datado de 6 de setembro de 1979.

    ​Hoje, há 40 anos foi concluída a construção de um depósito de resíduos nucleares no atol de Enewetak. A Cúpula Runit contém segredos geralmente desconhecidos, como a "saudação Runit" (fotos de Sobreviventes da Limpeza Atômica)

    "Estávamos terminando a cúpula e era essa enorme estrutura no meio do oceano Pacífico, de tamanho monumental, então queríamos colocar algo dentro dela", disse ao tabloide britânico Daily Star.

    Pessoas começaram a morrer

    Griego conta que o objeto é chamado de "saudação de Runit", acrescentando que aqueles que trabalharam na limpeza atômica deste atol começaram a "morrer logo".

    "É o que aconteceu com os homens que foram encarregados de construir esta cúpula e o que aconteceu com os ilhéus e o que aconteceu com o oceano Pacífico e o resto do mundo", resumiu.

    De acordo com Paul, não havia nenhum centro de descontaminação de radiação e nenhuma proteção contra radiação, então os funcionários não imaginavam que a área fosse radioativa. Com o tempo, ele e os seus colegas começaram a sentir as consequências da exposição ao equivalente a 2.000 bombas de Hiroshima.

    "Dentro do nosso grupo de sobreviventes perdemos de 6 a 8 pessoas por ano por câncer e outras doenças relacionadas com a radiação", lamentou o homem.

    Fotografia aérea da cúpula nuclear do atol Enewetak na ilha de Runit, no oceano Pacífico
    Fotografia aérea da cúpula nuclear do atol Enewetak na ilha de Runit, no oceano Pacífico

    O governo dos EUA, insistindo que os trabalhadores foram expostos a baixos níveis de radiação, não reconhece aqueles que trabalharam na limpeza do Enewetak como veteranos nucleares.

    Vazamento da contaminação

    Construída pelos EUA em 1979 com o uso de 358 painéis de concreto de 45 centímetros de espessura, a cúpula contém os restos de ensaios nucleares realizados nos atóis de Bikini e Enewetak.

    Apesar da enorme dimensão da estrutura, que armazena cerca de 85.000 metros cúbicos de resíduos radioativos, ela apresenta defeitos de construção que podem não isolar devidamente o material contaminado.

    Em maio, o secretário-geral da ONU, António Guterres, manifestou preocupação com o vazamento de material nuclear da cúpula para o oceano Pacífico. Entretanto, os sobreviventes da sua obra afirmam que a cúpula já está filtrando radiação para o Pacífico e que as águas das marés fluem através das paredes porosas da estrutura, que não tem um fundo aplanado.

    Mais:

    Ilhas Marshall são 10 vezes mais radioativas do que Chernobyl devido a testes nucleares dos EUA
    'Pura fachada': analistas falam sobre último teste de bomba nuclear nos EUA
    EUA testam sua 'bomba nuclear inteligente' em base militar secreta (VÍDEO)
    Tags:
    bomba atômica, testes nucleares, radiação
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar